Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Aos 60 anos, artista ascende na arte com encantamento e humor inteligente

A ilustradora goiana Marillac apresenta sua nova personagem voltada inteiramente para o formato digital: conheçam a Clô!

Aos 60 anos de idade, Marillac, mais conhecida no universo da ilustração como Lulu, é uma artista natural de Goiás que sempre desenhou de forma despretensiosa, mas somente em 2020, começou a explorar de fato todo o seu potencial artístico com ilustrações que falam sobre a arte de forma leve e brinca com os detalhes do dia-a-dia. A ilustradora propõe um diálogo sem barreiras para adultos e crianças, com uma linguagem acessível a todos os públicos.

Lulu cursou licenciatura em Desenho e Plástica na Universidade Federal de Goiás, onde descobriu o valor da técnica com Cleber Golvêa, artista plástico, e o gosto por literatura com a poetisa Yeda Schmaltz, ambos professores da Universidade Federal de Goiás (UFG).

A Universidade foi o local onde, há mais de 30 anos, nasceu sua personagem principal, a Clô, uma personagem forte, empoderada e encantada com o mundo. Ela foi criada em um trabalho final da faculdade, mas na entrega Lulu teve uma grande surpresa: ao ver a ilustração, sua professora disparou “eu esperava mais de você!”. A situação marcou a vida da artista que sempre quando lembra do momento brinca que não saiu da sala de aula com tristeza e nem com raiva, mas Clô ficou “pixelizada”, brincando sobre o choque que recebeu na hora.

“Os meus valores são intrínsecos às minhas ilustrações, por isso que eu fiz questão de trazer diálogos de mulheres e uma personagem empoderada”, explica Lulu. Para ela, a ilustração é a forma de manifestar sua existência no mundo. “Minha personagem apresenta características de várias mulheres, desde minha filha, as minhas amigas, escritoras que admiro e pessoas próximas a mim, no qual consigo transpor isso nas ilustrações de Clô, traduzindo em uma linguagem simples e reflexiva”, explica Marillac.

Artista, mãe e avó, Lulu conta que a personagem Clô foi apresentada para o mundo por meio das redes sociais, devido a pandemia e por inspirações de seu neto, Romeo, de 3 anos. A partir de uma visão sensível ao reparar todo encantamento do neto pela realidade do mundo novo e o gosto pela ilustração, a artista decidiu mostrar todo seu trabalho no meio digital, e o resultado foi incrível: diversas pessoas se identificaram com suas mensagens.

A idade que para muitos é empecilho, para a Lulu, os 60 anos estão sendo os melhores anos de sua vida. “Eu li um dia destes que a geração Baby Boomer está revolucionando a forma de envelhecer, é a primeira geração a atingir essa idade em plena atividade e criatividade. Acho que eu quero fazer parte desse bonde!”, explica a ilustradora sobre sua inspiração para continuar a ilustrar.

Sobre o caminho que percorreu Marillac

Há mais de 30 anos na cena da ilustração, Marillac tem longa experiência e coleciona passagens em mostras no Brasil e no mundo, entre os destaques estão suas exposições no
Centro de Artes Maria Guilhermina (1976); na Bratislava, capital da Eslováquia, como Honorary Consulate of Brazil (2004); Palais Schlick Europasaal em Viena, Áustria (2004); assim como o Encerramento do IX Circuito Internacional de Arte Brasileira (2004), onde recebeu menção honrosa pelo Museu de Arte de São Paulo (MASP), e participou também da exposição de Arte Brasileira no Centro Cultural (2005).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outro grande contributo em sua vida profissional, foi a estadia em Paris (2013), onde intensificou seu trabalho com o lápis aquarelável Caran D’ache, e recebeu um convite da ex-embaixatriz da Suíça Micheline Leutert para fazer uma exposição individual na Suíça. Dois anos depois, em 2015, realizou uma individual ‘preview’ da exposição ’S’assoir’, na Galeria Época, em Goiânia. No ano seguinte foi realizada a exposição S’assoir, em Genebra-Suiça, que ficaria durante um ano e continua até hoje, no “Cercle des Dirigeants d’Entreprises”.








Você pode gostar