Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Conta de luz deve subir mais de 20% no ano que vem, estima ANEEL

“Nossas estimativas apontam para um cenário de impacto tarifário médio em 2022 da ordem de 21,04%”, diz o documento

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Projeções mostram que a conta de luz vai continuar aumentando no ano que vem. Os números vem de documentos oficiais do governo e do setor elétrico. Os reajustes nas tarifas devem chegar a 21% no ano de 2022, alta que vai aumentar ainda mais a inflação.

Um texto publicado internamente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e obtido com exclusividade pelo Estadão, mostra que o órgão prevê o impacto financeiro que a crise hídrica terá sobre a conta de luz no Brasil, em decorrência das medidas adotadas para garantir o fornecimento de energia. “Nossas estimativas apontam para um cenário de impacto tarifário médio em 2022 da ordem de 21,04%”, diz o documento.

Ainda segundo informações publicadas pelo Estadão, o reajuste acumulado em 2020 somente para o consumidor residencial chega a 7,04%. Com isso, o aumento projetado para o ano que vem praticamente triplica a alta de 2021.

Além disso, a área técnica da agência reguladora concluiu, após analisar as previsões de geração de energia e de custos – incluindo informações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) -, que até abril de 2022, as “melhores estimativas” indicam um rombo de R$13 bilhões, “já descontada a previsão de arrecadação da receita da bandeira tarifária patamar escassez hídrica no período”, ou seja, o nível mais alto de cobrança da taxa extra.

Com aumento na conta de luz, busca por energia solar dispara

O aumento na conta de luz este ano deu um impulso à busca por energia solar residencial. De acordo com informações do Portal Solar Franquias, a capacidade de geração dos painéis instalados em telhados, fachadas e pequenos terrenos em todo o País cresceu 53%. O número saltou de 4,7 gigawatts (GW) em janeiro para 7,3 GW no início de novembro. Ao todo, essa potência equivale a pouco mais da metade da capacidade de geração da usina de Itaipu (14 GW).

As projeções indicam que a instalação de painéis solares diminua as contas de luz em ao menos 50%, podendo chegar a 90% em alguns casos. Apesar do investimento ser alto – por volta de R$ 15 mil, de acordo com informações do Portal Solar -, o valor acaba se pagando num período de cerca de cinco anos.

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar