Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Ibaneis reúne secretariado para discutir ações no lockdown

Ibaneis Rocha abriu a reunião citando os esforços de cada secretaria e empresas e autarquias para a cidade não parar, assim como não parou em 2020

Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Neste sábado (27), o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), se reuniu com seu secretariado e presidentes de empresas. O objetivo do encontro era organizar as ações do governo nesse período de lockdown.

O fechamento de todo o comércio local foi publicado na segunda edição extra do Diário Oficial do DF, no Decreto nº 41.842.

Ibaneis Rocha abriu a reunião citando os esforços de cada secretaria e empresas e autarquias para a cidade não parar, assim como não parou em 2020. Também foram anunciados novos leitos para o DF, assim como o reforço de que o transporte público não sofrerá alterações em seu funcionamento, bem como a zeladoria das cidades.

“Não podemos deixar o governo parar, assim como não deixamos o DF parar em momento nenhum. Vamos ter que nos organizar muito, cada um dentro da sua secretaria, porque agora vai ser muito mais desafiador do que no ano passado. A força que vamos ter que empreender esse ano é muito superior à que empreendemos no ano passado”, aposta o chefe do Executivo.

Aos gestores, Ibaneis Rocha afirmou que o decreto publicado na sexta-feira (26), que determina o lockdown em todo o DF, vai passar por ajustes e uma nova publicação será feita neste sábado (27) em edição extra do Diário Oficial, com a flexibilização de algumas medidas em áreas de menor impacto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A gente precisa de um prazo de 15 dias para atender a população. Depois disso vamos para a segunda fase, que é a do fechamento das 20h às 5h, e aí até o mês de junho, julho, a gente deve sair de qualquer tipo de restrição”, disse o governador ao fazer uma previsão para os próximos meses, caso a redução de casos se confirme. “Nós, como governo, não podemos parar. Nós temos que nos manter firmes e trabalhar e gerar confiança”, reforça Ibaneis Rocha. “Não tomo essa medida com nenhum tipo de prazer. É um sofrimento muito grande, mas, infelizmente, as medidas precisam ser tomadas”.

Ao longo de toda a reunião os gestores se manifestaram e apontaram as peculiaridades de cada pasta e empresas públicas. Da reunião, novos encontros foram definidos, como um promovido pelas pastas de Economia, Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo para alinhar medidas e socorro ao setor.

Mais leitos

A reunião também trouxe anúncios importantes na mobilização de novos leitos e outras medidas. O DF vai ganhar 100 novos leitos de UTI na próxima semana.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Além dos leitos que nós estamos abrindo hoje pela manhã, que são 20, nós teremos um investimento de R$ 59 milhões para a abertura de 100 leitos nos próximos dias”, explica Osnei Okumoto. Atualmente, o DF dispõe de 329 leitos, somando os de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e os de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI).

Além destes 100 novos leitos, o governo trabalha para abrir mais 60 leitos nos hospitais de Base e de Santa Maria num futuro próximo.

Também na linha de saúde, o vice-governador Paco Britto afirmou, na condição de presidente do Comitê Todos Contra a Covid-19, a doação de 400 mil unidades de álcool gel e 400 mil máscaras a todo o DF e Entorno para reforçar o enfrentamento ao vírus. “Estou aberto a todos para, juntos, encontrarmos a solução, porque os problemas vão sempre existir”, pontuou Paco Britto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Socorro à economia

Presidente do Banco de Brasília (BRB), Paulo Henrique Costa anunciou uma nova linha de crédito de R$ 2,5 bilhões para a população, com taxas reduzidas, dentro de um novo programa intitulado Acredita DF, que será amplamente divulgado pelo banco.

Cuidado das Cidades

Nomes à frente da zeladoria das administrações regionais, o secretário de Governo, José Humberto Pires, e o diretor-presidente da Novacap, Fernando Leite, destacaram que, mais do que nunca, o trabalho será integrado e não vai parar.

“Precisamos equilibrar as coisas entre o econômico e o social e entre as nossas vidas e nossa sobrevivência. Vou me reunir à tarde neste sábado com todos os administradores e a mensagem é que nós precisamos manter a cidade em funcionamento”, avisa José Humberto Pires.

“O DF não pode parar e as empresas que têm o compromisso de cuidar da zeladoria da cidade vão continuar em funcionamento. Vivemos um período de chuvas torrenciais e uma preocupação é cuidar disso. Nós vamos manter os órgãos em funcionamento”, acrescenta Fernando Leite.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com informações da Agência Brasília






Você pode gostar