Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

DF receberá mais de 56 mil doses para vacinação infantil em janeiro

Neste primeiro momento, apenas crianças com 11 anos ou com comorbidades poderão se imunizar. Segundo a pasta, cerca de 55 mil crianças se encaixam nesse grupo

Por Geovanna Bispo 13/01/2022 4h34

Geovanna Bispo e Vítor Mendonça
[email protected]

Apenas em janeiro, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal irá receber mais de 56 mil doses pediátricas da vacina contra a covid-19. Neste domingo (16), a Secretaria de Saúde inicia a imunização de crianças.

A primeira entrega será feita nesta sexta-feira (14), com 16.300 doses. As próximas duas entregas serão feitas no dia 20, com 23.634 doses, e no dia 27, com mais 16.300 doses. Além dessas, nos próximos meses, estão previstas 94.536 doses em fevereiro e 109.434 em março.

Neste primeiro momento, apenas crianças com 11 anos ou com comorbidades poderão se imunizar. Segundo a pasta, cerca de 55 mil crianças se encaixam nesse grupo. Todas essas doses serão dividias em 11 pontos fixos exclusivos por toda a capital.

Veja em quais regiões e postos:

  • UBS 20 (Planaltina)
  • UBS 2 (Sobradinho II)
  • UBS 1 (Santa Maria)
  • UBS 1 (Paranoá)
  • UBS 2 (Brazlândia)
  • UBS 17 (Ceilândia)
  • UBS 5 (Taguatinga)
  • UBS 12 (Samambaia)
  • UBS 1 (Cruzeiro)
  • USBS 1 (Lago Norte)
  • UBS 1 (Guará)

Nesses postos, que funcionarão das 8h às 17h, serão vacinados apenas crianças com 11 anos ou com comorbidades ou com deficiências permanentes sem dificuldades de locomoção. Para crianças com dificuldade de locomoção, haverá a vacinação itinerante, onde equipes de Saúde da Família (eSF) irão até elas a partir da próxima segunda-feira (17). As doses serão divididas, sendo 10 mil para crianças com 11 anos e 6 mil para crianças com comorbidades.

Segundo a Secretaria de Saúde, no Distrito Federal, existem cerca de 268 mil crianças que se encaixam no grupo, sendo 15 mil com comorbidades. Ainda que não impeça a infecção, a vacina é a forma mais eficaz evitar o agravamento dos sintomas, que podem levar a morte. Segundo os cartórios de registro civil de todo o Brasil, cerca de 324 crianças faleceram em decorrência de complicações relacionadas ao vírus desde o início da pandemia, em março de 2020.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Vale lembrar que após serem aplicadas nas mais de 8 milhões de crianças de 5 a 11 anos ao redor do mundo, as duas doses da vacina pediátrica apresentaram eficácia de 90,7% na prevenção contra a covid-19. A SES salienta ainda que não foram observados eventos adversos graves associados à vacinação deste público.

Documentos e cuidados

Os pais e responsáveis de crianças entre 5 a 11 anos que pretendem levar os filhos para a vacinação infantil no próximo domingo (16) deverão prestar atenção e dispor de alguns documentos necessários para a imunização.

De acordo com a Secretaria de Saúde do DF, não há necessidade de autorização por escrito, apenas a apresentação de algum documento de identidade ou caderneta de vacinação. Em cada região de saúde, as crianças estarão amparadas de um médico caso ocorra algum evento adverso inesperado após a aplicação da vacina. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) estará informado dos pontos de vacinação abertos.

Após a aplicação, os pais ou responsáveis deverão permanecer com as crianças no local de vacinação durante 20 minutos para o acompanhamento das equipes de saúde. As doses para as crianças serão de 0,2 mL – 0,1 mL a menos que para adultos e, portanto, mais leve.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aponta algumas reações comuns que podem ocorrer em decorrência da dose. Segundo o órgão, tratam-se de sintomas temporários:

  • Vermelhidão, dor e/ou inchaço no local de aplicação;
  • febre ou estado febril;
  • fadiga;
  • dor de cabeça;
  • calafrios;
  • dor muscular (mialgia);
  • dor nas articulações (artralgia);

Qualquer reação que os pais ou responsáveis entendam que extrapola as tratadas como “esperadas” pela Anvisa, um médico deverá ser procurado. Os sintomas raros e incomuns são: dores repentinas no peito, falta de ar ou palpitações após a aplicação da vacina.








Você pode gostar