Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Veja o que Bolsonaro já disse sobre o centrão, de ‘acordos espúrios’ a ‘nasci de lá’

Na campanha à Presidência, em 2018, Bolsonaro sustentou um discurso contra a “velha política” e o “toma lá dá cá”

Por FolhaPress 30/11/2021 12h51

Crítico do centrão no passado recente, o presidente Jair Bolsonaro se filiou nesta terça-feira (30) ao PL, um dos principais partidos do bloco, comandado por Valdemar Costa Neto.

Na campanha à Presidência, em 2018, Bolsonaro sustentou um discurso contra a “velha política” e o “toma lá dá cá”.

Durante seu mandato, no entanto, pressionado por pedidos de impeachment que se acumulavam na Câmara, o presidente abriu espaço para o centrão no Palácio do Planalto, culminando na filiação .

Relembre, abaixo, a mudança no discurso de Bolsonaro sobre o centrão.

TOLERÂNCIA ZERO

  • “Eu duvido que, eu sentado na cadeira presidencial, vai aparecer o ‘Seu’ Renan Calheiros e vai falar: ‘Eu quero o Banco do Nordeste pra mim.’ Eu duvido que isso venha a acontecer: a forma de fazer política como foi feita até o momento. E toda a imprensa pergunta pra mim: ‘Como você vai governar sem o ‘toma lá dá cá’?’ Eu devolveria a pergunta a vocês: existe outra forma de governar, ou é só essa? Se é só essa, eu tô fora!”
  • “Se é para aceitar indicações políticas, a raiz da ineficiência do Estado e da corrupção, aí fica difícil você apresentar uma proposta que possa realmente proporcionar dias melhores para a nossa população (…) Geralmente os grupos políticos loteiam esses cargos para se beneficiar.”
    29 de novembro de 2017, durante entrevista ao Canal Livre, na Band

LIVRE DO PARLAMENTO

  • “A mensagem que quero dar para todos no Brasil, inclusive no Parlamento, é a seguinte: se o Brasil estiver bem, nós estaremos bem, e não o contrário. Não o meu grupo político estando bem, o Brasil vai estar bem. Nós estamos partindo para o caos. Não dá para continuar administrando o Brasil dessa forma: o Parlamento indicando, impondo os seus nomes!”
  • 29 de novembro de 2017, durante entrevista ao Canal Livre, na Band

TUDO PELA LIBERDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • “Um governo sem toma lá dá cá, sem acordos espúrios. Um governo formado por pessoas que tenham compromisso com o Brasil e com os brasileiros. Que atenda aos anseios dos cidadãos e trabalhe pelo que realmente faz a diferença na vida de todos. Um governo que defenda e resgate o bem mais precioso de qualquer cidadão: a liberdade. Um governo que devolva o país aos seus verdadeiros donos: os brasileiros.”

PESSOAS CERTAS

  • “O segredo para bem administrar o Brasil é botar as pessoas certas no ministério certo. O que vem sendo feito ao longo dos anos? O presidente indica por interesses político-partidários. Tem tudo para não dar certo. Qual é nossa proposta? É indicar as pessoas certas para os ministérios certos. Por isso nós não integramos o centrão, tampouco estamos na esquerda de sempre. Vamos escalar as pessoas certas. Assim você poderá de verdade ter saúde, educação e segurança”
  • Em propaganda política antes de assumir a Presidência

PRESSÕES ENORMES

  • “Vocês sabem que as pressões são enormes porque a velha política parece que quer nos puxar para fazer o que eles faziam antes. Nós não pretendemos fazer isso”
  • Em março de 2019, ao anunciar a liberação de R$ 1 bilhão de emendas parlamentares

EM ACORDOS POLÍTICOS

  • “A Justiça nasceu para todos e cada um responda pelos seus atos. O que levou a essa situação, pelo que parece, são os acordos políticos dizendo-se em nome da governabilidade. A governabilidade você não faz com esse tipo de acordo, no meu entender. Você faz indicando pessoas sérias e competentes para integrar o seu governo, é assim que eu fiz no meu governo, sem o acordo político, respeitando a Câmara e o Senado brasileiro.”
  • 21 de março de 2019, ao atender jornalistas no retorno de uma viagem ao Chile

PARTIDOS SATANIZADOS

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • “Acho que centrão virou um palavrão. Acaba a eleição, acaba o centrão. Acho que os líderes têm que trabalhar para desvincular-se disso daí. Agora, a melhor maneira de demonstrar que eles não têm nada a ver com esse dito centrão, que foi satanizado esse nome, é ajudar a votar aquilo que interessa para o Brasil.”
  • “Eles falaram: ‘Olha, esse rótulo não está pegando bem para nós’. E assim é a grande parte desse parlamentares. Uma parte considerável dos parlamentares não quer ser rotulado como centrão, grupo clientelista, ou aquele grupo que quer negociar alguma coisa para votar. Então o que falta é se libertar. É procurar o líder, discutir a pauta e tocar o barco”.
  • 27 de maio de 2019, em entrevista à TV Record

SEM PATIFARIA

  • “Nós não queremos negociar nada. Nós queremos é ação pelo Brasil. O que tinha de velho ficou para trás, nós temos um novo Brasil pela frente.”
  • “Temos um novo Brasil pela frente. Patriotas têm que acreditar e fazer sua parte para colocar o Brasil no destaque que ele merece. E acabar com essa patifaria. É o povo no poder. Para garantir a nossa democracia e aquilo que há de mais sagrado em nós, que é a nossa liberdade. Esses políticos têm que entender que estão submissos à vontade do povo brasileiro.”
  • 19 de abril de 2020, durante discurso a apoiadores em frente ao Planalto que pediam intervenção militar e o fim da quarentena

NÃO ESTOU AQUI PARA JULGAR

  • “Por que não vou conversar com nomes do Partido Progressista que foram meus colegas por uns 15 anos? Qual o problema? Eles que votam. Se eles têm algum pecado, o eleitor do seu estado é que deve tomar providência, não vota mais. Eu não estou aqui para julgar, condenar, acusar, pedir cassação de qualquer parlamentar. Vou fazer meu trabalho e conversar.”
  • Em abril de 2020, durante entrevista a jornalistas

NÃO VOTE MAIS NESSES CANDIDATOS

  • “Quando eu coloco um militar dentro do governo, há críticas também: ‘Mais um militar’. Boto um parlamentar: ‘Ah, um parlamentar’. Pessoal, se você tem críticas a deputados do centro, não vote mais nesses candidatos por ocasião das eleições do ano que vem. É simples a coisa”
  • Em julho de 2021, durante entrevista a rádio de Curitiba

EU NASCI DE LÁ

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • “O centrão é um nome pejorativo. Eu sou do centrão. Eu fui do PP metade do meu tempo. Fui do PTB, fui do então PFL. No passado, integrei siglas que foram extintas, como PRB, PPB. O PP, lá atrás, foi extinto. Depois, nasceu novamente da fusão do PDS com o PPB, se não me engano. Eu nasci de lá”
  • Em julho de 2021, ao justificar a nomeação de Ciro Nogueira para a Casa Civil

QUER QUE EU CONVERSE COM O PSOL?

  • “Pessoal critica: ‘Ah, o cara está conversando com o centrão’. Quer que eu converse com o PSOL, com o PC do B, que não centrão?”
  • Em novembro de 2021, durante entrevista a portal bolsonarista

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE







Você pode gostar