Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Prefeito diz que enviará lista de crianças não-vacinadas ao MP e gera reação bolsonarista

Inicialmente, o prefeito de São Bernardo chegou a cogitar separar fisicamente as crianças não-vacinadas na volta às aulas

Por FolhaPress 24/01/2022 2h16
Foto: GEOFFROY VAN DER HASSELT / AFP

Fábio Zanini

Aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL) em São Paulo prometem tomar medidas contra o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), que anunciou numa live a intenção de enviar ao Ministério Público a relação de estudantes de escolas municipais da cidade não-vacinados contra a Covid-19 “Vamos fazer uma lista e levar ao conhecimento do Ministério Público da Criança e do Adolescente”, disse ele na transmissão, na última quinta-feira (20).

Morando afirmou que todas as crianças, vacinadas ou não, retornarão às aulas em 7 de fevereiro, mas disse que estava avaliando separar fisicamente as não imunizadas dentro das escolas.

À coluna Painel, Morando afirmou que a ideia da separação física foi descartada, após avaliação da Secretaria da Educação, mas que mantém a intenção de enviar a lista aos promotores. “Vai que uma criança dessa não vacinada tem uma complicação por Covid? Eu posso ser acusado, ou um pai pode me acusar de alguma coisa. Eu vou encaminhar ao MP, que daí poderá decidir tomar alguma atitude”, disse.

A live motivou reações de bolsonaristas como o presidente do PTB no estado, Otávio Fakhoury, e o deputado estadual Gil Diniz. “Tomarei todas as medidas jurídicas cabíveis contra o prefeito tucano Orlando Morando. Governam pelo medo, pelo caos, são medíocres!”, escreveu Diniz.








Você pode gostar