Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Notícias

Falso engenheiro fatura cerca de R$ 1 milhão com golpes no DF

O estelionatário é investigado em pelo menos 33 ocorrências policiais, por aplicar golpes de crédito falso em materiais para construção

Por Geovanna Bispo 23/11/2021 3h17
Foto: Divulgação / PCDF

Tereza Neuberger
[email protected]

O estelionatário, Vandré Gonçalves Faustino de 36 anos, apresentava-se para as vítimas como dono de um convênio em lojas de construção, e afirmava que conseguiria um preço mais acessível,ele recebia um adiantamento para efetuar a compra e em seguida desaparecia.

Há contra o acusado de formar uma associação criminosa especializada em estelionato, pelo menos 33 ocorrências policiais relacionadas ao crime. De acordo com a 38ª delegacia de polícia, o indivíduo atua desde 2019 e somando todos os prejuízos causados às vítimas obteve cerca de R$1 milhão com o golpe, que era aplicado em duas modalidades.

Na primeira modalidade, Vandré Gonçalves Faustino falsamente se apresentava como engenheiro ou como arquiteto, ele conquistava a confiança das vítima e afirmava possuir créditos de materiais de construção em grandes lojas do Distrito Federal, que eram oferecidos por preço inferior. Desta forma, o estelionatário conseguiu enganar um morador de Vicente Pires que, acreditando no golpista, transferiu R$3,5 mil para adquirir um suposto crédito de R 9,5 mil junto a uma grande loja de materiais de construção.

Na segunda modalidade do golpe aplicado pelo estelionatário, o autor anunciava que conseguiria adquirir materiais de construção a preço de custo. Vandré Gonçalves convencia a vítima a transferir valores em dinheiro para efetuar essa compra de forma mais barata. Após um tempo, ao constatar que o acusado não efetuou a entrega dos materiais prometidos, a vítima percebia que sofreu um golpe.

“Segundo consta da investigação esse indivíduo se passando por empreiteiro procura vítimas que estejam reformando ou construindo suas casas, e simulando possuir cartas de crédito por uma quantia muito inferior, oferece às vítimas .” afirma o delegado adjunto da 38ª DP, Walber José Lima. De acordo com a Polícia Civil, a esposa e o pai do estelionatário também são suspeitos de integrar a associação criminosa do crédito falso.

Vandré Gonçalves chegou, em algumas vezes, a entregar parte dos produtos em menor quantidade com o intuito de conquistar a confiança das vítimas para comprar em maior quantidade e consequentemente em maior valor de entrada. Toda a negociação era feita via WhatsApp, e assim que a vítima efetuava o pagamento, o golpista bloqueava a vítima que não conseguia mais contatá-lo.
O estelionatário está preso desde o mês passado, porém agora foi decretado pela PCDF um outro mandado de prisão contra ele, desta vez preventivo, por meio da Operação Fake Credit, como forma de garantia da ordem pública.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além de cumprir mandados de prisão preventiva, a operação cumpriu na manhã desta terça-feira (23), mandados de busca e apreensão na residência do acusado, além do bloqueio da conta corrente dele. A investigação também pediu o bloqueio das contas bancárias de Valter Gonçalves Faustino, pai do acusado, e sua esposa Rafaella Alanna de Oliveira Silva, que também são alvos da operação da PCDF desta terça.

Os autores estão sujeitos, por cada crime de estelionato praticado, a pena de um a cinco anos de prisão. Se condenados, os investigados podem responder pelo crime de associação criminosa, e pegar até três anos de prisão.
A PCDF informa a outras vítimas do acusado Vandré Gonçalves Faustino que denunciem nos canais disponibilizados pela PCDF. E ressalta a garantia de que o sigilo da denúncia é absoluto.

Canais online de denúncia pelo site oficial: www.pcdf.df.gov.br

Disque-Denúncia
(197), ligação gratuita.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar