fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Vídeo: PCDF divulga nomes de acusados de matar morador do Guará

4ª DP, que cuida do caso, criou um organograma para identificação dos acusados de matar Anderson Rocha Alves, 35, com um tiro no rosto

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

Após prender suspeitos de participar do assassinato de Anderson Rocha Alves, 35 anos, a 4ª Delegacia de Polícia (Guará) divulgou um organograma do grupo acusado de cometer o crime.

Anderson morreu no dia 19 de junho após ser torturado e atingido com um tiro no rosto. Após matá-lo, o grupo teria queimado o cadáver, esquartejado e jogado em tubulações de esgoto. Segundo a Polícia Civil (PCDF), o crime foi cometido porque a vítima teria comprado drogas com os criminosos usando cédulas falsas.

O caso só veio à tona no dia 23 de junho, quando partes do corpo foram encontradas na estação de tratamento de esgoto da Caesb da Asa Sul. Em seguida, a PCDF iniciou o trabalho de identificação do cadáver, até descobrir que se tratava de Anderson. Àquela altura, para a família, Anderson estava apenas desaparecido.

De acordo coma  4ª DP, dois dos cinco homens procurados foram presos nesta terça-feira (4). O mandante do crime seria um homem conhecido por Mancha, líder do grupo criminoso. O autor do tiro seria o enteado de Mancha, Diego Queiroz Soares, vulgo Gordinho ou DG. O delegado-chefe João Ataliba Neto mostra detalhes da organização:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Agora, a PCDF procura três acusados de participação direta na morte de Anderson. São eles:

  • Jadson de Santana Santos, vulgo Tochinha;
  • Lucas Rodrigues Miranda, vulgo Sombra;
  • Rogaciano Rodrigues Cruz, vulgo Wolverine.

 

Os membros do grupo poderão responder pelos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, porte ilegal de armas de fogo, tortura, homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Somadas, as penas alcançam cerca de 70 anos anos de prisão.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade