Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Teatro Galpão passa a se chamar Hugo Rodas

Após o batismo, a festa segue conduzida pelos dois grupos que estavam sob a direção de Hugo Rodas antes da sua morte

Foto: Divulgação

Nesta sexta-feira (27), não será diferente. Atores, atrizes, espectadores e agentes culturais se preparam para batizar o Teatro Galpão com o nome de um dos artistas mais importantes do Distrito Federal.

A homenagem a Hugo Rodas terá início às 19h, na Praça Orlando Brito, do Espaço Cultural Renato Russo (508 Sul), com o descerramento da placa do Teatro Galpão Hugo Rodas.

Estarão presentes artistas que tiveram a história impactada pela arte do diretor uruguaio e professor emérito da Universidade de Brasília (UnB), a exemplo do ator, diretor e professor universitário aposentado João Antônio de Lima Esteves e da atriz e antropóloga Iara Pietricovsky.

“Queremos celebrar a memória desse mestre que tanto transformou a arte cênica de Brasília. O Teatro Galpão Hugo Rodas surge como esse espaço natural e orgânico de criação e experimentação desse criador e de sua imensa trupe”, anuncia o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues.

Após o batismo, a festa segue conduzida pelos dois grupos que estavam sob a direção de Hugo Rodas antes da sua morte, em 13 de abril: a Agrupação Teatral Amacaca (ATA) e a Saci Wèrè, que vão tomar o Espaço Cultural Renato Russo com um cortejo, conduzindo os convidados para dentro do teatro com canções que compuseram trilhas de diversos espetáculos do diretor.

“Nós temos a missão de seguir com o legado de Hugo Rodas, e é simbólico esse momento de batismo em um território onde estamos residentes desde 2018, criando e apresentando uma série de espetáculos sob a maestria desse artista singular”, aponta a atriz Dani Neri, da ATA.

A relação de Hugo Rodas com o Teatro Galpão é histórica. Ali ele apresentou uma série de espetáculos que definiram a sua estética teatral. Compôs também a versão brasiliense de Os Saltimbancos, com o grupo Pitú, em 1976, que foi um dos primeiros sucessos do diretor na cidade, viajando pelo país e anunciando que Brasília tinha teatro de qualidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 21 de abril, Hugo recebeu a Medalha do Mérito Distrital da Cultura Seu Teodoro, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), pela sua contribuição à cultura do DF.

*Com informações da Agência Brasília








Você pode gostar