Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Délio Lins vence eleições para OAB-DF

Pelo menos 45 mil advogados do DF esperaram ansiosos o resultado, que foi divulgado durante uma transmissão no canal do Youtube da OAB-DF

Por Evellyn Luchetta e Hylda Cavalcanti
[email protected]

A chapa ‘Avança mais Brasil’, de Délio Lins e Silva Filho continua na presidência da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF). As eleições ocorreram neste domingo, 21, das 10h até as 18h. O resultado, que deveria ter sido divulgado logo após o fechamento das urnas, sofreu um atraso pois o sistema de contagem de votos falhou e precisou ser reiniciado. A chapa vai continuar na presidência da entidade pelo triênio de 2022 a 2024.

Délio encabeçou a chapa intitulada “Avança Mais OAB” e recebeu 12.328 votos. No total, conforme o resultado das apurações, 38.578 advogados votaram neste pleito, em 14 seções distribuídas no Plano Piloto e Regiões Administrativas do DF. Em segundo lugar ficou a chapa intitulada “Você na Ordem”, encabeçada pela advogada Thais Riedel, que contou também com o apoio de integrantes da equipe do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. Os advogados do DF esperaram ansiosos o resultado, que foi divulgado durante uma transmissão no canal do Youtube da OAB-DF.

Os votos foram feitos de forma híbrida, tanto online, quanto presencial. Cinco chapas concorreram à presidência: Délio Lins e Silva Júnior, Evandro Pertence, Guilherme Campelo, Renata Amaral e Thais Riedel. ‘Avança mais OAB’ foi a chapa que conquistou o maior número de votos.

Nas redes sociais da chapa vencedora, uma live de comemoração foi feita. O presidente reeleito afirmou que ficou feliz com o resultado. “Já tínhamos certeza de que iríamos conseguir a vitória da advocacia plural, da paridade e da OAB-DF democrática, o que sempre pregamos. Durante os três anos mais difíceis de nossa vida, nós tomamos conta da advocacia”, ressaltou.

O presidente da comissão eleitoral da entidade, José Perdiz, considerou as eleições da seccional “um sucesso” e disse que houve recorde de participação de eleitores. “Foi um pleito importante para a democracia. Agradeço a humanidade e respeito com o qual todos se portaram. A estreia desse sistema digital de votação, para nós, foi um desafio vencido”, acentuou – referindo-se ao fato desta ter sido a primeira vez em 61 anos que a eleição da entidade foi realizada de forma virtual.

Délio Lins e Silva recebeu cerca de 2.500 votos a mais que na eleição de 2018, quando foi eleito com 9.805 votos. Ele é pós-graduado em Direito Penal, mestre e doutorando em Ciências Jurídico-Criminais. Sua chapa tem como vice-presidente a advogada Lenda Tariana. Para secretário-geral foi eleito Paulo Maurício Siqueira; secretária-geral adjunta, Roberta Queiroz; diretor-tesoureiro, Rafael Martins; diretora de comunicação, Raquel Cândido; diretora de igualdade racial, Lívia Brito; diretor de prerrogativas, Newton Oliveira e diretor de tecnologia, Fernando Abdala.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Considerada uma das favoritas ao lado de Délio, a advogada Thais Riedel, afirmou que vai continuar na luta pela Advocacia da OAB-DF. A chapa dela recebeu 9.192 votos e ficou em segundo lugar. “Fizemos uma campanha limpa, digna, propositiva. Fomos alvo de diversas fake news, ações descabidas, mas seguimos e agradecemos, imensamente, todos os votos. Serei uma militante ferrenha e cobrarei diuturnamente que a atual gestão devolva o respeito para a Ordem. Cobrarei que a OAB-DF esteja presente na vida das advogadas e dos advogados e que seja um para-choque para a sociedade”, frisou.

As votações foram conturbadas e envolvidas por muita competição e crise. A rivalidade entre a advogada Thais Ridiel e o advogado Délio Lins foi a que mais chamou a atenção, com gritos de guerra e torcida. A transmissão do resultado foi marcada por gritos e cantos de comemoração.

Denúncias de fraude

A OAB-DF mudou a organização das eleições após denúncias. O anúncio foi feito neste sábado, 20. O registro de todas as chapas foi suspenso e os candidatos passaram a concorrer sub judice (mediante futura decisão judicial) e a vitória anunciada vai ser confirmada depois que a subcomissão de heteroidentidade analisar se a politica de cotas foi cumprida.

A nova norma acontece pois acusações de descumprimento das cotas raciais e de gênero pelas candidaturas foram feitas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Conselho Federal da OAB aprovou, em 2020, uma resolução que prevê a reserva de metade das vagas das chapas à mulheres e ao menos 30% dos cargos à advogados pretos ou pardos. Segundo o Estadão, pelo menos 200 renúncias de fraudes foram feitas desde que a resolução entrou em vigor.

Agora, a chapa que teve o maior número de votos deve ser analisada e, se regular, assumir a presidência da Ordem dos Advogados do Distrito Federal.








Você pode gostar