Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Torcida

Flu surpreende Fla nos pênaltis, fatura a Taça Rio e adia decisão do carioca

O goleiro Muriel foi o principal herói da conquista ao defender as cobranças de pênalti de Willian Arão e Rafinha, que executou a última cobrança da disputa decisiva, e ainda viu Léo Pereira chutar outra para fora

Rio de Janeiro – 08/07/2020 – Maracanã. Fluminense enfrenta o Flamengo esta noite pela final da Taça Rio 2020. FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C. . IMPORTANTE: Imagem destinada a uso institucional e divulgação, seu uso comercial está vetado incondicionalmente por seu autor e o Fluminense Football Club.É obrigatório mencionar o nome do autor ou usar a imagem. . IMPORTANT: Image intended for institutional use and distribution. Commercial use is prohibited unconditionally by its author and Fluminense Football Club. It is mandatory to mention the name of the author or use the image. . IMPORTANTE: Imágen para uso solamente institucional y distribuición. El uso comercial es prohibido por su autor y por el Fluminense Football Club. És mandatório mencionar el nombre del autor ao usar el imágen.

O Fluminense conseguiu adiar a definição do campeão carioca de 2020. Nesta quarta-feira, em uma atuação marcada pela garra e aplicação tática diante do favoritismo do rival, derrotou o Flamengo na disputa de pênaltis por 3 a 2, após empate por 1 a 1, no Maracanã, para vencer a Taça Rio.

O goleiro Muriel foi o principal herói da conquista ao defender as cobranças de pênalti de Willian Arão e Rafinha, que executou a última cobrança da disputa decisiva, e ainda viu Léo Pereira chutar outra para fora. Assim, ofuscou até Diego Alves, que defendeu as cobranças de Dodi e Michel Araujo. Na disputa, Nenê, Hudson e Fernando Pacheco converteram para o Fluminense, enquanto só Gabriel, Pedro acertaram cobranças para o Flamengo

Agora, então, a definição do campeão estadual se dará em mais dois jogos contra o Flamengo, pois o time rubro-negro faturou a Taça Guanabara. As partidas vão ser disputadas nos dois próximos domingos.

No tempo regulamentar, a forte marcação e a luta do Fluminense praticamente pararam o ataque do Flamengo, que teve atuação irregular. Foi superior no primeiro tempo, quando Gilberto abriu o placar em cabeceio. Mas não resistiu na etapa final, especialmente após os 30 minutos, quando foi encurralado, e viu Pedro, formado pelo clube das Laranjeiras, igualar o placar. E o time rubro-negro esteve perto, inclusive, de garantir o título antes da disputa de pênaltis, em oportunidades com Bruno Henrique.

O clima da conquista foi, porém, bem diferente ao de qualquer título recente do Fluminense. Afinal, o Fla-Flu, sempre um clássico marcante, foi disputado com o Maracanã vazio, em função das medidas restritivas para evitar a propagação do coronavírus. E com polêmicas extracampo que deixaram a disputa em segundo plano nos últimos dias.

O suspense envolvendo a decisão da Taça Rio começou bem antes do apito inicial. Afinal, o Fluminense teria o direito de transmitir o jogo, por ser o mandante e após receber o aval da Rede Globo. Mas o Flamengo chegou a obter decisão do TJD-RJ que também o permitiria exibir a final, algo que foi revertido apenas momentos antes do clássico pelo STJD.

O JOGO – O Flamengo iniciou a decisão com a sua força máxima, enquanto o Fluminense teve algumas novidades na sua escalação, embora o técnico Odair Hellmann tenha mantido a formação com três volantes. Mas com Fred ausente, lesionado, apostou nos jovens Marcos Paulo e Evanilson compondo o ataque com Nenê.

No primeiro tempo, o Fluminense conseguiu travar o Flamengo, que finalizou pela primeira vez apenas aos 28 minutos, em um chute da intermediária de Arrascaeta. Até então, o time rubro-negro tinha atuação fraca, tendo a posse de bola, mas sem conseguir encontrar espaços e acelerar o jogo para criar chances de gol.

O Fluminense, por sua vez, tinha como maior preocupação parar o Flamengo. E, com êxito, se arriscava aos poucos no campo de ataque. E teve a principal chance de gol aos 23 minutos. No lance, Nenê cobrou falta da intermediária na área, Filipe Luís cabeceou nas costas de Gerson, com a bola sobrando para Gilberto, que testou para difícil defesa de Diego Alves.

O lateral-direito perdeu uma chance na jogada aérea, mas não a segunda. Aos 37 minutos, Egídio cruzou da esquerda na área, Marcos Paulo cabeceou para o alto, Gilberto subiu trombando com Léo Pereira e cabeceia forte para o fundo das redes: 1 a 0 para o Fluminense, que levou a vantagem ao intervalo, sendo que pouco antes do seu gol havia perdido boa oportunidade com Yago.

Depois da atuação apática do primeiro tempo, o Flamengo melhorou de rendimento no começo da etapa final. E buscava sufocar o Fluminense especialmente quando conseguia retomar a posse de bola no campo de ataque. Teve, então, sua primeira boa chance em um cabeceio de Bruno Henrique, defendido por Muriel.

A forte marcação do Fluminense, porém, impedia que o Flamengo tivesse muito volume de jogo, um cenário alterado por uma bela trama, aos 19, quando Filipe Luís avançou até a linha de fundo e cruzou para Gerson cabecear com perigo, mas para fora. O time rubro-negro apostava nas jogadas pelas laterais. E foi assim que conseguiu o empate, aos 32, após cruzamento de Filipe Luís, sendo marcado por Pedro, de cabeça.

Superior tecnicamente e com bem mais fôlego, o Flamengo buscou a virada e a conquista nos minutos finais. E teve duas grandes chances. Aos 39 minutos, com um chute fraco de Bruno Henrique. Mas, principalmente, aos 40, quando após linda jogada de Michael, a bola cabeceada pelo atacante só não entrou porque Hudson fez corte em cima da linha.

A definição, então, ficou para os pênaltis. E aí Muriel brilhou com duas defesas, além de ter visto Léo Pereira chutar uma cobrança para fora. Com Nenê, Hudson e Fernando Pacheco convertendo suas cobranças, o Fluminense faturou a Taça Rio. E agora reencontrará seu rival em dois domingos para tentar, de fato, interromper a hegemonia do rival no futebol do Rio.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 1 x 1 FLAMENGO (3×2 nos pênaltis)

FLUMINENSE – Muriel; Gilberto (Michel Araújo), Matheus Ferraz, Nino e Egídio; Dodi, Hudson e Yago (Yuri Lima); Nenê, Marcos Paulo (Caio Paulista) e Evanilson (Fernando Pacheco). Técnico: Odair Hellmann.

FLAMENGO – Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Léo Pereira e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson (Diego), Everton Ribeiro (Michael) e Arrascaeta (Pedro); Bruno Henrique (Vitinho) e Gabriel. Técnico: Jorge Jesus.

GOLS – Gilberto, aos 37 minutos do primeiro tempo. Pedro, aos 32 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Bruno Arleu de Araújo.

CARTÕES AMARELOS – Nenê, Gilberto (Fluminense); Léo Pereira, Filipe Luís e Rafinha (Flamengo).

RENDA E PÚBLICO – Portões fechados.

LOCAL – Maracanã, no Rio.






Você pode gostar