fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Com mais taças do que derrotas, Jesus completa 1 ano de Fla com futuro indefinido

O time, sob o comando do português, conquistou cinco títulos desde então, incluindo os do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores

Avatar

Publicado

em

Foto: Alexandre Vidal/ Flamengo
PUBLICIDADE

Em 1º de junho de 2019, o Flamengo foi ao Engenhão, onde derrotou o Fortaleza por 2 a 0, sob o comando do interino Marcelo Salles. Mas a mais importante notícia para o clube e seu torcedor naquele dia viera horas antes e de um lugar bem mais distante. De Madri, onde acompanharia a decisão da Liga dos Campeões da Europa, o presidente Rodolfo Landim anunciou a contratação do técnico Jorge Jesus.

A chegada do treinador português revolucionou o Flamengo. O time, sob o comando do português, conquistou cinco títulos desde então, incluindo os do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores, ambos em 2019, e construiu uma aura de praticamente imbatível, se recolocando na trilha das conquistas

Contratado para substituir Abel Braga, Jesus foi campeão, além da Libertadores e do Brasileirão em 2019, da Recopa Sul-Americana, da Supercopa do Brasil e da Taça Guanabara, neste ano, antes da paralisação das competições por causa da pandemia do coronavírus.

São, assim, mais conquistas do que derrotas – 4. Com Jesus, o Flamengo sofreu seu primeiro revés para o Emelec, no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores – o time conseguiu passar de fase nos pênaltis, no confronto de volta. Depois, caiu para o Bahia, na 13ª rodada do Brasileirão, e para o Santos, na última, quando já era o campeão nacional. Já a última vez que deixou o campo batido foi para o Liverpool, na decisão do Mundial de Clubes de 2019.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em um total de 51 jogos, o Flamengo de Jesus tem 38 vitórias e 9 derrotas, além das quatro derrotas, com aproveitamento de 80,39% Além disso, marcou 118 gols e sofreu apenas 45.

A média de 2,31 gols feitos por jogo confirma a principal característica do time sob o comando do treinador: a ofensividade, algo que rendeu títulos, lotou estádios e fez brilhar a dupla de ataque composta por Gabriel e Bruno Henrique. Mas a equipe também conseguiu ser segura defensivamente, com o goleiro Diego Alves tendo pouco trabalho. E recuperando o futebol de jogadores que sofriam contestação do torcedor flamenguista antes da sua chegada, especialmente o volante Willian Arão.

Mas embora seja o desejo de todos no clube e da torcida flamenguista, a permanência de Jesus ainda é incerta. O contrato com o treinador se encerrará em 20 de junho, com o português já tendo feito vários elogios ao clubes e aos seus gestores. Mas as negociações ainda não avançaram como se imaginava.

O risco de perder o português em função do interesse de alguma equipe europeia parece improvável, especialmente por causa da pandemia do coronavírus. Mas outros fatores provocam o impasse, sendo um deles a desvalorização do real. Também há desacerto sobre o tempo de contrato – o Flamengo gostaria de renovar com Jesus até o fim de 2021, mas o interesse do treinador é por um vínculo menor, de um ano, coincidindo com o término da próxima temporada europeia. Ainda assim, há o otimismo da diretoria na permanência do treinador.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Após passar cerca de 40 dias em quarentena em Portugal, em função da pandemia do coronavírus, Jesus está no Rio desde o início de maio e vem comandando as atividades do elenco no Ninho do Urubu, embora ainda não esteja definido quando as competições serão retomadas. Também não é certo quando e se o seu vínculo será renovado. E essa é a grande expectativa dos flamenguistas no dia em que se completa um ano do treinador que iniciou nova era vitoriosa no clube.

 

Estadão Conteúdo


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade