Jornal de Brasília

Informação e Opinião

  • Edição Digital

    Ad

JBr Play

A programação deste fim de semana em Brasília está recheada de eventos para todos os gostos. A Caixa Cultural recebe o show de Amaro Freitas ao piano e Zé Manoel na voz, em homenagem ao lendário álbum Clube da Esquina. O projeto já passou por Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Fortaleza. Já o Sesc Garagem recepciona a recém-eleita cidadã honorária da capital, Carmela que apresenta espetáculo baseado em fatos biográficos. E para animar ainda mais a programação, a Casa do Cantador recebe a segunda edição do Festejo Unindo, com música, teatro, exposições de artesanato, oficinas de grafite e Breaking. Confira a lista completa.

Amaro Freitas e Zé Manoel apresentam Clube da Esquina

A Caixa Cultural apresenta Amaro Freitas ao piano e Zé Manoel na voz, de 1 a 3 de março, em um show que faz homenagem ao lendário álbum Clube da Esquina. 

Os músicos visitaram as canções do álbum lançado em 1972, que reuniu Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes, Ronaldo Bastos,  Fernando Brandt, além de outros grandes nomes da música mineira.

Amaro Freitas e Zé Manoel 

Local: CAIXA Cultural Brasília
Endereço: SBS Quadra 4 Lotes 3/4
Datas: de 1 a 3 de março de 2024
Horários: sexta e sábado, às 20h, e domingo, às 19h Ingressos: R$ 15 (meia – clientes CAIXA e casos previstos em lei) e R$ 30 (inteira) | Vendas na bilheteria do teatro e das 13h no site
bilheteria cultural 

Vai Carmela 

A grande artista Carmela chega com tudo no Sesc Garagem, para uma apresentação baseada em fatos biográficos da sua vida. O espetáculo acompanha sua infância, juventude na Europa e o seu retorno para o Brasil. “Nascida” em 2016, a apresentadora ganhou a esfera popular num show de Preta Gil, quando subiu ao palco diante de 40 mil pessoas. Desde então se apresenta com graça e humor.

Vai Carmela
Data: 01 – 03 de março, às 19h
Local: Sesc Garagem (913 Sul)
Ingressos: R$ 20,00 (valor único de meia-social) à venda pelo da site Sympla.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foto: Divulgação

Festejo Unindo Tribos

Em sua segunda edição, o Festejo Unindo Tribos irá reunir diversas vertentes culturais na Casa do Cantador na Ceilândia. Com vários gêneros musicais, teatro, exposições de artesanato, oficinas de grafite e Breaking. Com realização do Ministério da Cultura e pelo Instituto Cultural Menino de Ceilândia, o evento acontecerá nos dias 2 e 3 de março, com entrada gratuita. 

O festejo contará com muito rock’n’roll com as bandas Plebe Rude, Baratas de Chernobyl, Fuzuê Candango, Cálida Essência e Rota 040 e muito mais. 

2ª edição do Festejo Unindo Tribos
Local: Casa do Cantador – Ceilândia
Data: 2 e 3 março, sábado e domingo
Horário: 16h às 22h
Retirada de ingresso antecipado no site Rockout.

Foto: Caru Leão/Divulgação

Despedida do Carnaval com o Bloco Eduardo e Mônica 

O Carnaval mal acabou, e o retorno foi mais rápido que o esperado, um dos blocos mais tradicionais de Brasília retorna, com o evento “Ressaca – O Grande Encontro”. A piscina de ondas do Parque da Cidade será o palco para uma estrutura vip com praça de alimentação, atrações musicais e muita diversão. Já é neste sábado (2), a partir das 16h, com ingressos limitados. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ressaca – O Grande Encontro
Local: Piscina de Ondas – Parque da Cidade
Local: Parque da Cidade – Brasília, DF, 70297-400 Data: 2 de março de 2024
Horário: A partir das 16h
Ingressos: Ingresse.

Foto: Divulgação

Tropicália! – Feira de Discos

A 2ª Edição da Tropicália! – Feira de Discos será realizada na INFINU, nos dias 02 e 03 de março. O evento traz a nostalgia da música tocada em vinil, além de expositores e DJs com vários sets especiais. 

Tropicália! – Feira de Discos

Data: 02 e 03 de Março
Horário: Das 12h às 20h

Local: Infinu Comunidade Criativa – CRS 506 Bloco A Loja 67
Entrada Franca 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Léo Lins em novo espetáculo 

Léo Lins se apresenta neste sábado (2) com o  novo espetáculo, “Peste Branca”! no Teatro do Museu Nacional. No stand-up, o comediante utiliza do humor ácido para percorrer a camada de hipocrisia em temas como representatividade, linguagem neutra e conservadorismo

Léo Lins em: Peste Branca
Data: 02 de Março,  Sábado
Horário: 19h e 21h
Local: Teatro do Museu Nacional – Setor Cultural Sul, Lote 2 próximo à Rodoviária do Plano Piloto Ingressos: Ingresso digital

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
A Fabulosa Fábrica de Música 

O Teatro Unip recebe o musical A Fabulosa Fábrica de Música neste sábado (2) e domingo (3). A peça conta a aventura de três crianças, que acidentalmente, quebram uma caixinha de música que esconde um poder mágico, o de trazer música ao mundo. Com direção de Roberto Bomtempo, texto original de Adalberto Neto e direção musical de Roger Henri, o musical promete encantar crianças e adultos.

A Fabulosa Fábrica de Música, O Musical Data: 02 e 03 de Março de, Sábado e Domingo Horário: Sábado, às 19h e  Domingo, às 16 e às 19h Local: Teatro UNIP (913 sul)
Ingressos: Sympla 

Foto: Divulgação

Viajando com Tapetes Contadores de histórias 

Está chegando ao fim a temporada com o coletivo Tapetes Contadores, na Caixa Cultural, com mais de 60 obras o grupo viaja pelos quatros cantos do Brasil, pesquisando culturais tradicionais. Com coloridos bonecos, vestimentas, tapetes, caixas, painéis e livros, costurados e bordados, a programação é gratuita e de classificação livre para todos os públicos. 

Viajando com Tapetes Contadores
Local: CAIXA Cultural Brasília
Visitação: até 3 de março de 2024
Horário: das 9h às 21h, de terça-feira a domingo Bilheteria: entrada franca

Foto: Andressa Anholete/Divulgação

 

Amaro de Freitas e Zé Manoel, Carmela e atrações gratuitas na Casa do Cantador são destaques no fim de semana do DF

Nesta quinta-feira (29), o Senado começou a discutir importantes mudanças no Código Eleitoral que podem incluir mesmo o fim da reeleição para presidente, governadores e prefeitos. É parte do amplo pacote de medidas que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação este semestre. Pacote de medidas que são de iniciativa do próprio Senado.

É o trabalho de Pacheco para tomar do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o protagonismo que ele teve nos últimos anos. Disputa de poder que certamente levará a uma reação de Lira. E ainda há o governo, que também precisa ver, no meio dessa disputa, o avanço das pautas de seu interesse.

A análise e os bastidores dessa briga são o tema do JBrNews de hoje. Com Alexandre Jardim e Rudolfo Lago.

Pacheco e Lira disputam protagonismo no Congresso
Haddad deve encaminhar até o fim de março a regulamentação da reforma tributária, diz Alckmin

Pragmático, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não briga com a realidade. Em entrevista, ele reconheceu que o ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro no domingo (25) foi grande e demonstra o tamanho da sua força política. Assim, Lula tratou de acelerar ações que já estavam em curso como forma de reverter os efeitos políticos da manifestação. Duas ações importantes nesse sentido marcaram a terça-feira (27).

Pela manhã, o governo apoiou a aprovação na Comissão Especial da Câmara da PEC que amplia a isenção tributária das igrejas. Ainda que a isenção atenda a todos os segmentos religiosos, ela agrada à bancada evangélica, que tem maioria conservadora e estava em peso no ato de domingo, assim como seus eleitores. E, no fim do dia, Lula assinou medida revogando parte da MP da Reoneração, atendendo ao empresariado e ao Centrão, buscando atraí-los também. Ainda que tudo já estivesse sendo negociado, o ato acelerou as soluções.

É o que explicam Alexandre Jardim e Rudolfo Lago no JBrNews de hoje.

Ações de Lula para reverter o ato de Bolsonaro

O ato em favor do ex-presidente Jair Bolsonaro no domingo (25) na Avenida Paulista ainda repercute. Aos aliados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva impressionou a capacidade de arregimentação que Bolsonaro ainda possui.

Mas impressionou ainda mais a capacidade de atração dos políticos do campo conservador. Havia antes uma impressão de que eles não iriam querer colar a sua imagem à de Bolsonaro. Mas, no entanto, eles compareceram.

Surpreendeu, por exemplo, a presença do governador de Goiás. Ronaldo Caiado. Mas por que os políticos do campo conservador, mesmo aqueles não tão identificados com o bolsonarismo, compareceram?

Porque no debate político polarizado de hoje, não há meio termo. Ou se está de um lado ou se está de outro. E esses políticos brigam pelo espólio de Bolsonaro. É o que explicam Alexandre Jardim e Rudolfo Lago no JBrNews de hoje.

Governadores: solidariedade a Bolsonaro ou cálculo político?