Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Weintraub ignora incômodo de bolsonaristas e estende giro por SP

Ele tem dito que quer testar a aceitação de seu nome junto ao eleitorado de direita para uma possível candidatura a governador

Por FolhaPress 18/01/2022 8h42
Foto: Agência Brasil

Fábio Zanini
São Paulo, SP

O ex-ministro Abraham Weintraub (Educação) pretende estender seu giro pelo interior do estado de São Paulo até o final deste mês, pelo menos.

Ele tem dito que quer testar a aceitação de seu nome junto ao eleitorado de direita para uma possível candidatura a governador.

A movimentação tem incomodado aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL), que preferem o ministro Tarcísio Freitas (Infraestrutura) para a disputa do Palácio do Bandeirantes.

A agenda inicial de Weintraub previa visitas a 18 cidades até segunda-feira (24), terminando em um evento feito por um grupo conservador em Ribeirão Preto (SP). O tour poderá ser estendido também para Presidente Prudente, Marília, Bauru e cidades do litoral de São Paulo.

O ex-ministro quer visitar prefeitos, vereadores, empresários, ativistas e produtores rurais locais. Ele tem buscado se apresentar como um verdadeiro conservador e não um candidato do centrão, uma indireta a Tarcísio, que deve se filiar ao PL, um dos principais integrantes desse grupo.

Na última segunda-feira (17), o ex-ministro participou de uma live em que fez críticas à aliança do presidente como centrão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Weintraub tem conversas adiantadas para se filiar ao PTB, junto com seu irmão Arthur, que o acompanha no roteiro e poderá ser candidato a deputado federal ou estadual.

Segundo dirigentes petebistas no estado, o partido não está apoiando a viagem financeiramente nem em termos logísticos, até porque os irmãos Weintraub não são filiados à legenda.

“O ‘road show’ dele [Weintraub] já estava planejado, é ele que está bancando as despesas. O PTB não está envolvido nisso, mas poderá ajudar futuramente, caso ele se filie”, diz Otávio Fakhoury, presidente estadual da legenda.

O ex-ministro tem viajado com uma equipe de apoiadores. Segundo uma pessoa próxima, ele pediu uma licença do Banco Mundial, em Washington (EUA), onde trabalha.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar