Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Queiroga está ‘a um passo de ser indiciado’, diz Randolfe

“Se eu fosse ele estaria mais interessado em vir à CPI, porque é a chance de ele não ser indiciado” disse o vice-presidente da CPI

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou nesta terça-feira, 28, que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, deve esclarecer satisfatoriamente questões ao colegiado sob pena de entrar na lista de indiciados. Randolfe é um dos senadores que defende uma nova oitiva de Queiroga na CPI, antes do encerramento dos trabalhos.

“Ministro Queiroga está a um passo de ser indiciado nesta investigação. Se eu fosse ele estaria mais interessado em vir à CPI, porque é a chance de ele não ser indiciado. E para ele não ser, eu pediria o cumprimento de duas condições: garantisse que crianças e adolescentes serão vacinados, e nos apresentar a programação de vacinação no ano que vem. Estou pedindo o mínimo ao ministro da Saúde. Sem responder essas perguntas satisfatoriamente, o ministro será indiciado”, afirmou o senador

VTCLog

Com o surgimento de novos capítulos em meio às acusações contra a Prevent Senior pelo suposto uso de remédios sem eficácia científica comprovada contra a covid-19 em pacientes, Randolfe Rodrigues afirmou que os trabalhos do colegiado não podem ser concluídos sem fechar as linhas de investigação sobre a VTClog.

“Os interesses corruptos dessa empresas e de sua antecessora, a Voetur, pairam sobre o Ministério da Saúde há mais de uma década”, afirmou o parlamentar no Twitter. “Na investigação, não podemos perder essa oportunidade”, declara.

O colegiado caminha para a reta final das investigações. Segundo Randolfe, já foram concluídas as denúncias contra a Precisa Medicamentos, que intermediou o contrato entre o Ministério da Saúde e a farmacêutica Bharat Biotech para a compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin, e, nesta terça-feira, a comissão deve concluir as acusações contra a Prevent Senior.

“Entretanto, a CPI não pode encerrar sem ouvir o Sr. Carlos Alberto Sá, da VTClog. Essa empresa está há muito tempo envolvida em casos de corrupção”, afirmou. Sá é sócio-administrador da VTClog e da Voetur.

Diante dos novos capítulos, o relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL), adiou a entrega do relatório final, que estava prevista até 24 de setembro. No entanto, as novas linhas de investigação na reta final da CPI adiaram a conclusão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os parlamentares querem coletar mais informações sobre empresas ligadas a lobistas que negociaram com o Ministério da Saúde. Além disso, a CPI também colocou no radar uma nova convocação do ministro Marcelo Queiroga. No entanto,devido à infecção por covid-19, o ministro está em quarentena em Nova York, nos Estados Unidos.

A VTCLog pertence ao grupo Voetur e passou a ser investigada pela CPI devido à suspeita de irregularidades em um aditivo de R$ 18 milhões em um contrato atual com o Ministério da Saúde. A empresa é a encarregada do transporte de medicamentos e também a atual responsável pela distribuição de vacinas no Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Estadão Conteúdo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar