Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Prévias vencidas por Doria podem ser ignoradas, indicam partidos da 3ª via

O nome escolhido pelos presidentes das três siglas é o da senadora Simone Tebet (MDB-MS). O acordo será anunciado na próxima terça

Foto: Reprodução

O PSDB, MDB e Cidadania divulgaram uma nota nesta quinta-feira, 19, em que se comprometem a apresentar uma candidatura presidencial competitiva para a eleição de 2022. Em diversos momentos da nota, os três partidos citam que o ex-governador João Doria (PSDB) pode não ser o escolhido mesmo tendo vencido as prévias presidenciais tucanas.

“O Brasil terá uma nova candidatura, competitiva, para vencer, que será oficializada em breve. O povo brasileiro – e não disputas ideológicas e partidárias – estará no centro do debate político nas eleições de outubro. Para problemas reais, soluções reais”, afirmam a cúpula das três legendas.

O nome escolhido pelos presidentes das três siglas é o da senadora Simone Tebet (MDB-MS). O acordo será anunciado na próxima terça-feira, 24. No dia anterior, o comando do PSDB vai até São Paulo se reunir com Doria e tentar fazer com que ele desista da pré-candidatura.

“Em novembro de 2021, o PSDB realizou suas prévias, vencidas pelo governador João Doria. Em dezembro de 2021, deixando de lado conveniências políticas locais e pessoais, os partidos e seus respectivos pré-candidatos iniciaram as discussões para a formação de uma chapa única”, afirma a nota assinada pelos dirigentes partidários Bruno Araújo (PSDB), Baleia Rossi (MDB) e Roberto Freire (Cidadania).

Em outro trecho da nota, as legendas também citam uma fala da senadora Simone Tebet em que ela diz que pode não ser a candidata.

“Na mesma linha, a senadora Simone Tebet afirmou em entrevista que é preciso ‘deixar os projetos pessoais porque o que interessa é o centro democrático estar no segundo turno das eleições’. No dia 16 de maio, a senadora reforçou seu posicionamento”, escreveram os presidentes dos partidos.

Apesar disso, há no texto mais menções à possibilidade de Doria abrir mão de disputar a eleição. Os dirigentes também dizem que o paulista participou desde o início das negociações por uma candidatura unificada dos partidos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O marco zero dessas conversas ocorreu em São Paulo numa reunião na qual participaram, na residência do ex-presidente Michel Temer, os presidentes Baleia Rossi, do MDB, Bruno Araújo, do PSDB, o então governador João Doria, vencedor das prévias tucanas, e o vice-governador Rodrigo Garcia”, consta na nota.

Estadão Conteúdo








Você pode gostar