Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Na ONU, Bolsonaro defende tratamento precoce e diz que deu auxílio de 800 dólares a brasileiros

Presidente culpou governadores e prefeitos, que optaram pelo isolamento social para frear o avanço da covid-19. Bolsonaro também exaltou o “tratamento precoce” contra a doença

Por Willian Matos 21/09/2021 11h08
Bolsonaro na ONU Foto: AFP

O presidente Jair Bolsonaro abriu a 76ª Assembleia-Geral da ONU nesta terça-feira (21). Bolsonaro falou em meio ambiente, Amazônia, tratamento precoce e desemprego. Sobre a economia, o chefe do Executivo culpou governadores e prefeitos pela inflação, como costuma dizer a apoiadores, e falou sobre o auxílio emergencial criado em 2020.

“As medidas de isolamento e deixaram um legado de inflação em especial nos gêneros alimentícios no mundo todo. No Brasil, para atender mais humildes, obrigados a ficar em casa por decisão de governadores e prefeitos, e que perderam sua renda, concedemos um auxílio emergencial de 800 dólares para 68 milhões de pessoas em 2020”, declarou Bolsonaro.

O chefe de Executivo brasileiro também exaltou os empregos criados em 2020 e previu crescimento de 5% em 2021.

Tratamento precoce

Bolsonaro também falou sobre vacinação e o chamado “tratamento precoce” contra a covid-19, que consiste em tomar medicamentos comprovadamente ineficazes. O presidente disse que o Brasil irá vacinar toda a população até novembro deste ano e declarou ainda não entender por que o tratamento precoce não foi adotado por outros países.

“Desde o início da pandemia, apoiamos a autonomia do médico na busca do tratamento precoce, seguindo recomendação do nosso Conselho Federal de Medicina. Eu mesmo fui um desses que fez tratamento inicial”, declarou Bolsonaro, que diz ainda não ter se vacinado contra a doença.

“Respeitamos a relação médico-paciente na decisão da medicação a ser utilizada e no seu uso off-label. Não entendemos porque muitos países, juntamente com grande parte da mídia, se colocaram contra o tratamento inicial. A história e a ciência saberão responsabilizar a todos”, disparou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar