Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Máscaras: “absolutamente contrário”, diz Queiroga

A declaração do ministro foi feita no mesmo dia em que o Brasil bateu as 600 mil mortes em decorrência das complicações da covid

Por Geovanna Bispo 08/10/2021 4h10
Foto: Agência Senado

Nesta sexta-feira (08), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou ser “absolutamente contrário” às leis que obrigam o uso de máscaras de proteção contra a covid-19. Além das máscaras, o ministro também criticou o chamado “passaporte da vacina”, ou seja, a necessidade de apresentação do comprovante de vacinação para entrar em alguns locais.

“Essa história de lei para obrigar qualquer coisa é absurda, primeiro que não funciona. O que temos que fazer é as pessoas aderirem às recomendações sanitárias, o cuidado é individual, o benefício é de todos”, disse após a visita a algumas obras no Piauí. “Passaporte disso, passaporte daquilo, a população brasileira em breve vai estar toda vacinada.”

A declaração do ministro foi feita no mesmo dia em que o Brasil bateu as 600 mil mortes em decorrência das complicações da covid. “Não precisa de lei mandar fazer, nós já temos. Parar com essa mania de legislorragia inútil, usa máscara, tem que trocar a máscara de quanto em quanto tempo, como eu fiscalizo isso? A gente precisa é conscientizar as pessoas e parar com essa história de dividir a população brasileira”, continuou.

Mas essa não é a primeira vez que Queiroga critica a obrigatoriedade das máscaras ou do passaporte. No mês passado, ele já havia dito que a apresentação do comprovante “não ajuda em nada”. “Somos contra isso. O povo brasileiro é livre, queremos que as pessoas exerçam de acordo com sua consciência”, disse.

Na última quarta (06), Queiroga disse que a desobrigação das máscaras não demorará a sair, mas que será feito de modo gradual. “Em breve nós vamos anunciar.”








Você pode gostar