Menu
Política & Poder

Leite encontra Lula e pede ajuda para evitar demissões no Rio Grande do Sul

A demanda foi entregue ao presidente, junto com um ofício com as solicitações. A reunião teve a presença de outros governadores

Redação Jornal de Brasília

05/06/2024 17h45

Esta foto divulgada pela presidência brasileira mostra o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (L), apertando a mão do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (R), após chegar à Base Aérea de Santa Maria, estado do Rio Grande do Sul, Brasil, em maio 2 de fevereiro de 2024. O número de mortos em uma forte tempestade no Rio Grande do Sul, no sul do Brasil, subiu para 13, em meio ao “pior desastre” da história do estado para onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva viajou na quinta-feira. (Photo by Ricardo STUCKERT / Brazilian Presidency / AFP) / RESTRICTED TO EDITORIAL USE – MANDATORY CREDIT “AFP PHOTO / BRAZILIAN PRESIDENCY / RICARDO STUCKERT” – NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS – DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS

JULIA CHAIB E CATIA SEABRA
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS)

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), teve um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nesta quarta-feira (5) e pediu ajuda para a manutenção dos empregos e a reposição de receitas no estado, atingido por uma tragédia climática.

Leite afirmou que é preciso ter um apoio do governo federal às empresas sob pena de uma série de demissões.

“A maneira de resolver isso é ter um programa como na pandemia, em que o poder público faça o pagamento de parte dos salários e evite as demissões”, disse o governador em entrevista no Palácio do Planalto.

Leite solicitou também um programa de recomposição de rendas. “O governo e as prefeituras vão sofrer, como já sofreram em maio, junho, julho e nos próximos meses, uma queda muito forte da arrecadação, o que vai prejudicar a prestação de serviços à população do lado da arrecadação do Estado. A gente teve a suspensão da dívida, mas a suspensão da dívida é toda canalizada para a reconstrução.”

A demanda foi entregue ao presidente, junto com um ofício com as solicitações. A reunião teve a presença de outros governadores. Leite tinha a expectativa de se reunir a sós com o presidente.

Leite viajará ao Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (6) junto com Lula e espera que os dois possam conversar mais. O governador disse que ele solicitou a viagem conjunta e que o presidente ofereceu a carona no voo quase que simultaneamente.

Além do encontro com Lula, Leite vai à Câmara e ao Senado tratar de ajudas ao estado. O governador também afirmou que iria ao Ministério da Fazenda. Segundo aliados, porém, a agenda tanto na Fazenda como no Ministério do Trabalho foram canceladas.

Uma pessoa próxima do governador avalia que há má vontade do governo federal em recebê-lo, o que gera desconforto.

De acordo com Leite, há 500 mil empresas no estado excetuando-se as individuais das quais 35 mil estão em áreas alagadas e precisam de apoio.

Além disso, o governador citou que há uma perda grande de arrecadação tanto por parte do estado como dos municípios.
“Nos Meses de maio, junho e julho será de pelo menos R$ 3 bilhões a perda de arrecadação para o estado e para os municípios também”, comentou o governador.

“E aí é que nós estamos insistindo. Além de eu ter a manutenção de emprego e renda a partir de medidas, como na pandemia foram adotadas, também pedimos uma medida de reposição de receitas, porque o ente federativo que tem capacidade e fôlego para isso é a União”, avaliou.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado