Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Justiça bloqueia bens de Agnelo, Arruda e Filippelli

Por Arquivo Geral 11/05/2018 5h00

O juiz federal Ricardo Augusto Soares Leite determinou o bloqueio dos bens dos ex-governadores do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) e José Roberto Arruda (PR) e do ex-vice-governador Tadeu Filippelli (MDB), além da quebra do sigilo telefônico.

As determinações também valem para outras sete pessoas: os ex-secretários do GDF Márcio Machado, José Walter Vazquez Filho e Afrânio Roberto de Souza Filho; Reinaldo Teixeira Vieira, Samuel Dias Junior e o empresário Jorge Luiz Salomão.

Eles foram alvos da segunda fase da Operação Panatenaico, deflagrada nesta sexta-feira (11). A Polícia Federal busca documentos referentes referentes a desvios de recursos, superfaturamento e pagamento de propina nas obras do BRT Sul.

Segundo corporação, laudos realizados pelos investigadores constataram o direcionamento e a fraude no processo licitatório, enquanto auditorias realizadas pelo Tribunal de Contas do DF e pela Controladoria Geral do DF apontaram um superfaturamento de aproximadamente R$ 208 milhões, cerca de 25% do custo total do empreendimento fraudado.

Primeira fase

Na primeira fase da Panatenaico, deflagrada em maio de 2017, 21 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Federal, entre elas, os ex-governadores do Distrito Federal Agnelo Queiroz e José Roberto Arruda, e o ex-vice-governador Tadeu Filippelli. Eles viraram réus em ações que investigam lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa na reforma do estádio Mané Garrincha.

Panatenaico

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O nome da operação é uma referência ao Stadium Panatenaico, sede dos jogos panatenaicos, competições realizadas na Grécia Antiga que foram anteriores aos jogos olímpicos. A história desta arena utilizada para a prática de esportes pelos helênicos, tida como uma das mais antigas do mundo, remonta à época clássica, quando estádio ainda tinha assentos de madeira. A construção foi toda remodelada em mármore, por Arconte Licurgo, no ano 329 a.C. e foi ampliado e renovado por Herodes Ático, no ano 140 d.C., com uma capacidade de 50 mil assentos. Os restos da antiga estrutura foram escavados e restaurados, com fundos proporcionados para o renascimento dos Jogos Olímpicos. O estádio foi renovado pela segunda vez em 1895 para os Jogos Olímpicos de 1896.






Você pode gostar