Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Em nova crítica ao isolamento social, Bolsonaro diz que “podia ficar no Alvorada”

“Tenho um bom salário de presidente, tenho tudo lá, não pago nada. Poderia ficar lá o tempo todo vendo a banda passar”, declarou

Por Willian Matos 21/07/2021 10h54
Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro fez novas críticas ao isolamento social, medida de prevenção contra a covid-19. Em entrevista à Jovem Pan, Bolsonaro disse que poderia ter ficado em casa, no Palácio da Alvorada, mas preferiu ir “para o meio do povo”.

“Eu podia ficar no Alvorada. Tenho um bom salário de presidente, tenho tudo lá, não pago nada. Poderia ficar lá o tempo todo vendo a banda passar. Não agi dessa maneira, fui para o meio do povo”, declarou.

“Eu tinha que ver o que estava acontecendo dentro da casa do pessoal humilde aqui da periferia de Brasília como eu fui. Mostrei, vi a geladeira do pessoal, conversei com manicure: ‘Ganhava quanto por mês?’ Até ganhava bem, vamos assim dizer, três, quatro mil por mês. ‘Agora [ganha] quanto?’. Zerou”, comentou Bolsonaro. “Eu raramente faço uma unha escondido por aí. Passou a ser bandido, né?! O trabalhador informal passou a ser bandido”, complementou.

Na mesma entrevista, Bolsonaro declarou que está prestes a fazer uma mudança nos ministérios. “Estamos trabalhando, inclusive, uma pequena mudança ministerial, que deve ocorrer na segunda-feira, para ser mais preciso, e para a gente continuar aqui administrando o Brasil”, declarou.

A troca deve ser na Casa Civil e na Secretaria-Geral. Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil) e Onyx Lorenzoni (Secretaria-Geral) podem dar lugar aos senadores Ciro Nogueira e Davi Alcolumbre, respectivamente. Bolsonaro estaria sendo pressionado pelo Centrão a promover as alterações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar