Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

Bolsonaro diz que projeto de ICMS fixo não deve ser aprovado

“O Congresso dificilmente tem convergência das coisas. É natural, a vida toda foi assim”, comentou o presidente

Foto: Adriano Machado/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores nesta segunda-feira (17) que a proposta enviada ao Congresso Nacional de determinar um valor fixo para o ICMS não deve ser aprovada. “Pedi urgência e acho que vou ser derrotado”, comentou.

“O Congresso dificilmente tem convergência das coisas. É natural, a vida toda foi assim. Entramos com projeto lá, pedi urgência e acho que vou ser derrotado. Tem estado em que é um estupro o ICMS, e o pessoal culpa a mim”, lamentou.

“Então, queremos definição. O estado cobra o que quiser, mas que diga o quanto está cobrando. Quando aumenta a gasolina, o pessoal me culpa. Agora, quando diminui, não abaixa na ponta da linha. Fiquei dois meses sem cobrar PIS e Cofins, mas não baixou nada”, completou o presidente.

“Idiotas”

Bolsonaro chamou de “idiotas” as pessoas que ficam em casa ao obedecer medidas restritivas para evitar a disseminação do coronavírus. “O agro realmente não parou. Tem uns idiotas aí, o ‘fique em casa’. Tem alguns idiotas que até hoje ficam em casa. Se o campo tivesse ficado em casa, esse cara tinha morrido de fome, esse idiota tinha morrido de fome. Daí, ficam reclamando de tudo”, disse.

Crítico de medidas restritivas, Bolsonaro se recusa a usar máscara, promove aglomerações e faz discurso em defesa de medicamentos que não têm comprovação científica contra a Covid, como a hidroxicloroquina.






Você pode gostar