Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Política & Poder

A pedido de Ciro Nogueira, MPF envia gastos de Renan Filho em AL

Senador pediu investigação sobre todos os estados e municípios. Ação em Alagoas, no entanto, seria mais um sinal do embate entre Ciro e Renan Calheiros

Por Willian Matos 11/05/2021 5h42
Ciro Nogueira x Renan Calheiros Ciro Nogueira x Renan Calheiros. Foto: Agência Senado

O Ministério Público Federal em Alagoas (MPF-AL) investiga os gastos do governo de Renan Filho (MDB) no âmbito da pandemia de covid-19. A investigação ocorre a pedido do senador Ciro Nogueira (PP-PI).

No final do mês passado, Ciro havia apresentado um requerimento na CPI da Covid pedido que se investigue os gastos de todos os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal, além dos municípios com mais de 200 mil pessoas.

Em resposta ao pedido, a procuradora da República em Alagoas, Niedja Gorete de Almeida Rocha Kaspary, apresentou ao Senado um procedimento administrativo de acompanhamento de políticas públicas. O documento, atualizado pela última vez na última quinta-feira (6), tem 360 páginas e mostra despesas e compras feitas pela gestão de Renan Filho.

Veja na íntegra:

MPF-AL à CPI da Pandemia by Jornal de Brasília on Scribd

A investigação em Alagoas evidencia o embate entre Ciro e o senador Renan Calheiros (MDB-AL). Ciro tentou impedir que Calheiros fosse nomeado relator da CPI da Covid, sem sucesso. As sessões da comissão começaram na semana passada, e Ciro e Renan chegaram a travar algumas discussões em meio aos depoimentos dos convocados.

Há ainda o fato de Ciro ser apoiador do presidente Jair Bolsonaro, que já criticou a CPI diversas vezes. Na semana passada, Bolsonaro respondeu Renan Calheiros e acusou Renan Filho de desviar recursos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Sabe o que eu diria para o senador? Prezado senador, frase não mata ninguém. O que mata é desvio de recurso público, que seu estado desviou. Vamos investigar seu filho que a gente resolve o problema. Desvio mata. Frase não mata”, afirmou Bolsonaro, em resposta a críticas de Calheiros sobre frases polêmicas do presidente desde o início da pandemia.






Você pode gostar