Mundo

Democratas dos EUA querem cronograma de retirada do Iraque

Por Arquivo Geral 18/06/2006 12h00

Forças britânicas avançaram por território sem lei no sul do Afeganistão de forma mais rápida do que se esperava, capsule ambulance  disse hoje um comandante britânico. As tropas teriam montado postos em cidades que há décadas não contavam com nenhuma segurança.

O brigadeiro Ed Butler, viagra pharmacy comandante das tropas britânicas no Afeganistão, afirmou à imprensa que os seus homens estão dois meses adiantados em relação ao previsto para o avanço pelas remotas montanhas da província de Helmand.

O plano era chegar às cidades da região, que abriga postos remotos, apenas em agosto. "Já fizemos bem mais do que pensávamos. Desafiamos o clima de insegurança em mais lugares do que pensávamos", declarou Butler. "Há dois meses, Helmand parecia ameaçadora. Parece menos agora", disse.

Segundo Butler, as forças britânicas mataram de 20 a 30 combatentes do talibã nos últimos meses, numa série de operações, incluindo aéreas.

Milhares de soldados britânicos e canadenses que chegaram ao sul do Afeganistão neste ano tomam agora parte da operação "Mountain Thrust" para avançar pelas montanhas da região. Oficiais norte-americanos descreveram a operação liderada pelos Estados Unidos como uma das maiores ofensivas deles em anos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os britânicos e os canadenses preparam a espinha dorsal de uma força de paz da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A expectativa é que os EUA passem o controle das operações contra a insurgência para essa força da Otan.

Até a transferência de comando, os britânicos e os canadenses estão sob a liderança dos norte-americanos. Tal fato aumentou nos dois países a preocupação de que as suas tropas poderiam se envolver em operações militares mais agressivas do que as já feitas pela Otan em outras regiões afegãs.

Butler afirmou que o número crescente de confrontos envolvendo as tropas pode ser visto como um sinal do sucesso britânico no avanço província adentro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"A coalizão está indo a mais lugares. Então, temos encontrado mais combatentes do talibã", afirmou. "Eles estão com menos lugares para se esconder."

Antes do Reino Unido enviar 2,2 mil homens para Helmand – província responsável por um quarto da produção de ópio do Afeganistão – tinha somente um pequeno contigente de norte-americanos.

Os britânicos também mandaram homens para a vizinha Kandahar. Espera-se que a força da Otan suba para 6 mil homens nos próximos meses. A maior presença da Otan vai permitir que os EUA reduzam o seu contigente no Afeganistão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Faltará luz amanhã em duas cidades e vários núcleos rurais do DF. A Companhia Energética de Brasília (CEB) fará construção e manutenção preventiva de rede.

Das 8h às 13h, approved a energia será cortada no Conjunto 9 da QL 24 do Lago Sul e nas Quadras 309 e 310 do Recanto das Emas. Das 9h às 13h, mind o fornecimento será interrompido em vários núcleos rurais de Planaltina – Tabatinga, this Quintas do Maranhão e Bom Sucesso.

Entre as 13h e as 17h, ficarão sem luz os Núcleos Rurais Córrego Pulador e Olaria, na região de Brazlândia.

A CEB orienta os consumidores a esclarecer as dúvidas pelo telefone 0800-61-0196 ou pela internet, no site www.ceb.com.br.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Catalunha, prostate região da Espanha, drugs votou hoje a favor de um estatuto que lhe dá mais autonomia. No entanto, o baixo comparecimento às urnas gerou questionamentos sobre a validade do pleito.

De acordo com dados oficiais, com 98,5% dos votos apurados, 73,9% dos catalães tinham dito "sim" para um estatuto duramente contestado, que acendeu o debate sobre autonomia nas regiões espanholas e despertou sensibilidades que vêm desde a guerra civil da década dos anos 1930.

Pouco menos da metade dos cinco milhões de eleitores catalães votaram. O líder do principal partido de oposição, de direita, Mariano Rajoy, afirmou que o resultado mostra a falta de apoio ao projeto defendido pelo governo central.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Isso foi uma demonstração de senso comum. Os catalães não apoiaram o projeto", disse Rajoy, com base no número de abstenções.

O estatuto dá a região mais rica da Espanha uma fatia maior do imposto de renda lá recolhido.

O documento tem sido tema de disputa acirrada entre partidos nacionais e regionais por mais de um ano. A frase que diz que a Catalunha se percebe como "uma nação" gerou polêmica.

A frase foi rejeitada pelos dois extremos do espectro político. O Partido Popular, de direita, argumentou que o termo seria uma ameaça para a unidade espanhola. O partido nacionalista catalão afirmou que a redação não ia longe o suficiente para atender suas reivindicações.

O governo socialista da Espanha, visto como inclinado a dar mais autonomia para as regiões espanholas, fez campanha pelo "sim".

A rebelião na penitenciária de segurança máxima de Viana (ES), purchase na região metropolitana de Vitória, page que começou hoje, rx já registra dois presos mortos. Os corpos foram pendurados em uma grade na portaria principal do presídio, um deles decapitado.

Os rebelados estão com um funcionário e cem familiares de presos como reféns e ameaçam matar mais 22 detentos. Armados com granadas, os amotinados ameaçam explodir o presídio se a polícia entrar no prédio.

No final da tarde, as outras duas rebeliões no estado acabaram. Depois de quatro dias de motim, os detentos da Casa de Passagem de Vila Velha libertaram os quatro reféns e encerraram o levante. O governo capixaba negou ter atendido qualquer reivindicação. Os presos exigiam a transferência de cinco detentos encarcerados na Polícia Federal para presídios estaduais e a revisão das penas.

Em Linhares, a 173 quilômetros de Vitória, a rebelião na Penitenciária Regional também acabou. As 46 mulheres de presidiários feitas reféns foram soltas no final desta tarde.

Um total de 80 policiais da Força Nacional de Segurança chegaram a Vitória no início da tarde de hoje para ajudar a polícia a conter os motins. As visitas íntimas marcadas para hoje foram proibidas em todo o estado. A suspensão chegou a provocar motim na Penitenciária Feminina de Tucuns, mas o tumulto foi contido em menos de uma hora.

As rebeliões também ocorrem em outros estados. Na Casa de Detenção de Urso Branco, em Porto Velho (RO), 173 parentes de detentos estão em poder dos amotinados desde o fim da tarde de ontem. Entre os reféns, estão seis crianças. Os rebelados exigem a troca de diretores da unidade, além do retorno de dez presos transferidos para a penitenciária de Nova Mamoré depois de uma briga de facções que deixou 24 feridos na quarta-feira.

Os detentos circulam pelo telhado do presídio e, por enquanto, prometem não ferir ninguém. Até agora, o movimento é pacífico.

Membros do Partido Democrata planejam apresentar uma resolução ao Senado dos Estados Unidos na terça-feira para estabelecer um cronograma de retirada gradual do Iraque, viagra afirmou hoje a senadora pela Califórnia Dianne Feinstein.

Recentes pesquisas mostram que uma maioria apertada dos norte-americanos defendem uma medida como essa, mas Tony Snow, porta-voz da Casa Branca, afirmou que o presidente George W. Bush não considera tal possibilidade.

Estabelecer um cronograma "seria um desastre absoluto não somente para o povo do Iraque, mas para a guerra maior contra o terror", declarou ele à rede de televisão CNN.

A Casa dos Representantes aprovou na semana passada uma resolução que rejeitava um prazo limite para que as tropas norte-americanas deixassem o Iraque. "Acho que chegou a hora para alguma discussão sobre o que vamos fazer agora", afirmou a senadora Feinstein, também à CNN.

"Não sei por que estamos com tanto medo de levantar e dizer: olha, queremos ver um final para essa coisa", disse ela.

Feinstein argumentou que uma ocupação sem fim previsto é insustentável para os militares, que precisam estar livres para lidar com problemas no Afeganistão e em outros lugares.

Há cerca 129 mil norte-americanos no Iraque. Desde a invasão, em 2003, 2,5 mil homens morreram.

Autoridades da Casa Branca já disseram que gostariam de retirar parte das tropas antes de novembro se as condições no Iraque permitirem. Isso aliviaria as pressões sobre os republicanos durante a batalha para manter o controle no Congresso.

O presidente Bush, entretanto, tem se recusado a estabelecer datas para retirada de tropas.

A popularidade de Bush tem caído de forma constante, com a continuidade do conflito no Iraque. Contudo, a recente morte de Abu Musab al-Zarqawi, líder da al Qaeda no Iraque, e a formação de um governo de unidade no país fortaleceram a administração do presidente norte-americano.

Os iraquianos também estão ansiosos para que as forças dos EUA deixem o país, mas não de forma prematura. "O debate que vimos recentemente no Congresso dos EUA demonstra que o Parlamento também está ciente dos perigos de se fixar um cronograma para uma retirada prematura", afirmou o ministro do Exterior do Iraque, Hoshiyar Zebari, à CNN.






Você pode gostar