Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Mundo

Aquecimento global reforça todas as ondas de calor, segundo especialistas

O aquecimento causado pelas atividades humanas também aumenta a frequência e intensidade das inundações em algumas regiões do mundo e de algumas secas

Níveis de água diminuem em rio em Nevada, nos Estados Unidos. Foto: AFP

Todas as ondas de calor carregam a pegada característica e mensurável do aquecimento global, disseram nesta quarta-feira (11) cientistas especializados no vínculo entre eventos climáticos extremos e mudanças climáticas.

O aquecimento causado pelas atividades humanas também aumenta a frequência e intensidade das inundações em algumas regiões do mundo e de algumas secas, mas a ligação é menos sistemática, segundo o documento publicado nesta quarta e apresentado como um guia para jornalistas.

“Não há dúvida de que a mudança climática está mudando as regras do jogo quando se trata de ondas de calor”, comentou à AFP um dos autores, Friederike Otto, do Imperial College de Londres.

“Toda onda de calor no mundo hoje é mais forte e mais provável de ocorrer devido às mudanças climáticas causadas pelo homem”, insiste o pesquisador e coautor Ben Clarke, da Universidade de Oxford, no documento.

Até recentemente, os cientistas estavam relutantes em vincular formalmente um evento específico às mudanças climáticas, mas a ciência da atribuição fez um tremendo progresso nos últimos anos, identificando e quantificando a responsabilidade do aquecimento em um evento climático, às vezes em questão de dias. 

Por exemplo, Friederike Otto e seus colegas da World Weather Attribution estimaram que o episódio de calor extraordinário que atingiu a América do Norte em junho de 2021, com um recorde de 49,6°C no Canadá, teria sido “quase impossível” sem o aquecimento global.

A onda de calor desta primavera na Índia e no Paquistão ainda está sendo analisada, mas “o que vemos agora será normal, senão frio, em um mundo entre +2º e +3º C”, ressalta Otto. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No momento, o mundo ganhou quase +1,2ºC em média em comparação com a era pré-industrial.

AFP








Você pode gostar