Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Economia

Fluxo de estrangeiros na Bolsa muda de saldo de R$ 71 bi para perda de R$ 7,2 bi em 2021

Com a mudança, os dados de participação de estrangeiros em IPOs e follow ons passaram de R$ 3 bilhões para R$ 3,7 bilhões em 2022, até abril

Por FolhaPress 20/05/2022 7h02
Foto: Paul Whitaker / Reuters

Lucas Bombana
São Paulo, SP

A Bolsa de Valores brasileira, a B3, anunciou nesta sexta-feira (20) a revisão dos dados de fluxo de estrangeiros no mercado acionário local nos anos de 2020 e 2021.

No início de abril, a B3 já havia informado sobre a revisão dos dados de aportes de estrangeiros na Bolsa referentes a 2022, que passaram de R$ 91 bilhões para R$ 64,1 bilhões, até abril, uma queda de aproximadamente 30%.

Pelos números informados nesta sexta, o fluxo de investidores estrangeiros em 2021, que antes apontavam para a entrada de R$ 70,8 bilhões, foram revisados agora para um resgate líquido de R$ 7,2 bilhões.

Em relação ao ano de 2020, os dados anteriores da B3 indicavam que os estrangeiros sacaram R$ 31,8 bilhões, quando na verdade o volume foi negativo em R$ 39,7 bilhões.

Segundo a B3, os dados que vinham sendo informados desde outubro de 2020 incluíam operações de empréstimos de ações feitas via tela, quando o serviço passou a ser oferecido pela Bolsa.

“Mas esse tipo de operação não tem um fluxo financeiro, ou seja, não tem um pagamento de um lado para o outro. É só um empréstimo, e não deveria ser contabilizado como uma compra ou uma venda”, disse Luis Kondic, diretor de produtos e dados da B3, durante coletiva com jornalistas no mês passado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os dados passaram a refletir agora as operações feitas nos mercados à vista, opções e termo, excluindo os dados de empréstimo de ativos.

O erro foi descoberto em meio a um processo de revisão interna da própria empresa, e também com base em questionamentos que chegaram de clientes.

O anúncio feito no mês passado sobre os números de 2022 gerou uma série de reações nas redes sociais, com a maior parte das publicações criticando a falha da B3 em relação à transparência dos números.

Mudança de metodologia para dados de IPOs e follow ons Junto com o anúncio da revisão nesta sexta, a B3 também anunciou uma mudança na metodologia para o cálculo dos dados de participação de investidores estrangeiros via ofertas públicas –abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) e ofertas subsequentes (follow on).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na metodologia anterior, a Bolsa usava as informações dos anúncios de encerramento das ofertas pelos emissores, que têm prazo legal de até seis meses para serem concluídos.

Com a alteração, serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3, com a defasagem sendo reduzida para dois dias.

“O ajuste oferece maior tempestividade ao dado, reduz a chance de inconsistências no preenchimento das informações e, por ter a mesma metodologia de classificação usada no mercado secundário, permite a conciliação entre os dados de negociação desses investidores nos diferentes mercados”, informou a B3.

Com a mudança, os dados de participação de estrangeiros em IPOs e follow ons passaram de R$ 3 bilhões para R$ 3,7 bilhões em 2022, até abril.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em relação a 2021, o número foi de R$ 31,6 bilhões para R$ 48,7 bilhões, e de R$ 29,2 bilhões para R$ 40,3 bilhões em 2020.








Você pode gostar