Menu
Brasil

Uma prova do crime de estupro no parto é entregue à polícia

A equipe de enfermeiras resolveu gravar o parto após notarem um comprotamento esquisito do anestesista. Gaze com esperma foi achada

Camila Bairros

12/07/2022 7h19

No domingo (10), após perceberem comportamentos estranhos do anestesista em dois procedimentos anteriores, a equipe de enfermeiras resolveu gravar o último parto do dia, e foi quando viram que Giovanni Quintella Bezerra estuprava as mulheres enquanto davam à luz.

O anestesista sedava completamente as mães, e enquanto o resto da equipe trabalhava para retirar o bebê, ele ejaculava na boca da vítima. A gaze usada para limpar a boca da mulher após o crime foi encontrada pelas enfermeiras e entregue à polícia como prova do crime, já que continha esperma de Giovanni e foi recolhida de uma lixeira do centro cirúrgico.

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) abriu um processo para expulsar o anestesista, que foi preso em flagrante.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado