Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Suspeito de matar universitária a facadas é preso em SP

Segundo informações da Polícia Civil, o suspeito foi encontrado escondido em uma área de mata na Serra da Paulista

Por FolhaPress 18/05/2022 3h30
Idoso confessou o crime e afirmou que, se caso a vítima não tivesse morrido ainda, ele terminaria a agressão. Foto/Reprodução

Simone Machado
São José do Rio Preto, SP

Michael Douglas da Silva suspeito de matar a universitária Mayara Roquetto Valentim, de 23 anos, em São João da Boa Vista, no domingo, foi preso agora a pouco pela Polícia Civil. Michael também é investigado por tentar matar outra mulher, sua vizinha, no sábado (14).

Segundo informações da Polícia Civil, o suspeito foi encontrado escondido em uma área de mata na Serra da Paulista, entre as cidades de São João da Boa Vista e Águas da Prata.

O homem sofre de esquizofrenia e vinha sendo procurado desde a noite de sábado. A suspeita é que após tentar matar a tiros a vizinha, e a arma falhar, ele tenha ido para a região da Serra Paulista se esconder. Foi lá em que Mayara foi morta com 28 facadas.

No quarto do suspeito, foram encontradas imagens suásticas e menções à Lázaro Barbosa – homem suspeito de matar uma família em Ceilândia (DF) e fugir em meio à mata por 20 dias. Uma força-tarefa foi feita para encontrar Lázaro, morto durante confronto com a polícia.

Segundo a Polícia Civil, por volta das 11h, Mayara teria saído de casa e não retornou. Estranhando a demora da jovem, familiares dela relataram o desaparecimento à polícia e promoveram buscas, com amigos, na área de mata em que ela caminharia.

O corpo de Mayara foi encontrado com ferimentos de faca no braço, mão, tórax e cabeça, por um amigo da família que ajudava nas buscas. Ela estava em uma ribanceira onde havia diversas pedras.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um chinelo do suspeito foi encontrado por cães farejadores a cerca de 400 metros do local onde o corpo de Mayara foi encontrado.

Uma lona também foi localizada por um cão farejador, o que sinaliza que o suspeito pode ter dormido na região de mata após fugir, na noite do sábado, e levanta suspeitas de que Mayara estaria “no lugar errado e na hora errada” quando foi morta pelo suspeito.

A estrada da Serra da Paulista, onde Mayara foi encontrada morta, tem 18 km de extensão e faz parte do circuito da Caldeira do Vulcão de Poços de Caldas e do Caminho da Fé. O local é bastante frequentado por moradores da cidade e também por romeiros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar