Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Saúde distribui mais de 5 mil concentradores de oxigênio

Até o momento, são 5.133 equipamentos que irão auxiliar no tratamento de pacientes com covid-19 na rede pública de saúde em todo país

Foto: Divulgação/Ministério da Saúde

Os equipamentos foram doados ao SUS pela iniciativa privada, ampliando a assistência a pacientes com covid-19. Os concentradores de oxigênio chegarão de forma escalonada ao país

O Ministério da Saúde prepara a distribuição dos concentradores de oxigênio doados ao Sistema Único de Saúde (SUS) por 12 empresas privadas. Até o momento, são 5.133 equipamentos que irão auxiliar no tratamento de pacientes com covid-19 na rede pública de saúde. Nesta quarta-feira (7/4), um carregamento com 1.899 equipamentos foi entregue no aeroporto de Guarulhos. Os concentradores chegarão ao país, de forma escalonada, até o dia 14 de abril – a ação de logística para a entrega aos estados brasileiros será coordenada pelo Ministério da Saúde durante este mês de abril.

A aquisição foi possível após a abertura de um edital de chamamento público, em uma ação coordenada pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Economia – as inscrições do chamamento estão abertas até o dia 8 de abril. Participam da iniciativa as seguintes empresas: Bradesco, BRF, B3, Embraer, Gerdau, Grupo Ultra, Itaú, Magazine Luiza, Marfrig, Natura &CO, Suzano e Unipar. A Air Liquide Brasil fez a cotação para a importação dos equipamentos, ao custo total de R$ 35 milhões.

Os concentradores de oxigênio funcionam como mini usinas, podendo produzir, diariamente, o equivalente a mais de 7m3 de oxigênio com 93% de pureza, adequado ao consumo humano. Os equipamentos são usados em pacientes leves e moderados com covid-19, oferecendo cerca de cinco litros de oxigênio por minuto.

Outras ações

Com o Plano Oxigênio Brasil, o Ministério da Saúde vem coordenando ações de apoio a estados e municípios para enfrentamento à pandemia. No último fim de semana, a pasta, com apoio da Força Aérea Brasileira (FAB), ajudou no transporte de cilindros para o Acre e o Amapá – os equipamentos foram adquiridos pelos estados. Além disso, o Ministério da Saúde aguarda retorno sobre o pedido de requisição administrativa de mais 500 cilindros de oxigênio – mil equipamentos já foram distribuídos após requisições junto ao estoque excedente da indústria.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para ampliar o abastecimento na Região Norte, que possui dificuldades de logística, o estado de Rondônia passará agora a ser abastecido com oxigênio transportado do Rio de Janeiro por aviões da FAB nos chamados tanques permacyl, que permitem um armazenamento maior do produto – anteriormente, o estado estava recebendo oxigênio de Manaus (AM) por isotanques.

O Ministério da Saúde, em parceria com empresas do setor privado, também colocou em operação uma carreta criogênica com capacidade de 25 mil m3 de oxigênio, que realizou, nesta segunda-feira (5/4), a primeira entrega do produto ao município de Sinop (MT). A outra parte da carga tem como destino a cidade de Vilhena (RO).

Além disso, a pasta aguarda a chegada de caminhões específicos para transporte de oxigênio líquido, que foram importados do exterior pela empresa White Martins – a previsão é que os veículos estejam no país em, aproximadamente, 15 dias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ministério da Saúde
(61) 3315-3580 / 2351






Você pode gostar