Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Mourão liga dragas atracadas em rio com narcotráfico

Segundo informações, há mais de 300 embarcações no rio sem licença ambiental para mineração

O vice-presidente Hamilton Mourão fez a relação entre balsas e dragas atracadas no Rio Madeira, próximo à comunidade de Rosarinho, em Autazes, estado do Amazonas, utilizada por garimpeiros, com o narcotráfico. Segundo ele, parte das embarcações podem ter sido contratadas por criminosos.

Na tarde desta quarta-feira (24), imagens da chegada das balsas no rio, há 15 dias, foram divulgadas. Segundo o jornal O Globo, em audiência pública na Câmara dos Deputados, Mourão, que também é coordenador do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL), afirmou que garimpeiros tem forte ligação com o narcotráfico. 4 Mourão suspeita que dragas atracadas no Rio Madeira estão ligadas a narcotraficantes

“Volta e meia aparece um garimpo de aluvião ali na região. Pode ter certeza que parcela disso aí está contratado por gente ligada ao narcotráfico porque o Madeira é rota do narcotráfico”, disse Mourão em sessão da Comissão de Relações Exteriores da Câmara.

Ao G1, o ativista Danicley Aguia, do Greenpeace, afirmou que há mais de 300 balsas no rio, sem licença ambiental para mineração. O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) confirmou o aumento na movimentação local. O instituto ainda informa que a exploração na área não são licenciadas, ou seja, irregulares.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) também informou que apenas teve conhecimento das embarcações ontem e que já houve uma reunião com o Ipaam para coordenar e tomar providências.

Com agências

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar