Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasil

Estudo americano levou a polícia a entender que Henry foi vítima de homicídio

Pesquisa aponta que, em acidentes domésticos envolvendo crianças entre 0 e 4 anos, é pouco provável que uma queda leve à morte

O inquérito que investigava a morte de Henry Borel, 4 anos, foi concluído na segunda-feira (3). A Polícia Civil do Rio confirmou que o garoto foi vítima de homicídio. O padrasto, o vereador Dr. Jairinho, e a mãe, Monique Medeiros, foram indiciados por homicídio duplamente qualificado.

Para chegar à conclusão de que Henry foi morto, peritos do Instituto Médico Legal (IML) usaram um estudo da professora Angela Thompson, da Universidade de Louisville, nos Estados Unidos. A pesquisa explora quedas domiciliares de curta distância, o que costuma ser comum entre crianças pequenas, mas também é usado por pais, responsáveis e cuidadores por cuidadores para ocultar traumas abusivos.

O IML usou o estudo porque, em depoimento logo após a morte de Henry, Jairinho e Monique disseram que o garoto foi encontrado caído no chão no dia da morte dele. A pesquisa da professora americana concluiu que, em nenhuma das 79 quedas analisadas envolvendo crianças entre 0 e 4 anos, houve ferimento grave ou risco de vida.

Isto é, a versão do casal de que Henry teria caído e se machucado a ponto de morrer era pouco provável. O inquérito aposta que Jairinho torturou o garoto antes da morte. Laudos do IML apontam ainda que o vereador já havia torturado Henry um mês antes — e desta vez a mãe sabia das agressões.

“Como era lindo te ver crescendo”

Henry completaria 5 anos na segunda (3). O pai do garoto, o engenheiro Leniel Borel de Almeida Jr. fez um relato nas redes sociais. Leniel relembrou a última festa do filho. “Ah, como era lindo te ver crescendo”, disse o homem.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Hoje seria seu aniversário de 5 aninhos. Mais uma festa para comemorarmos juntos, sempre do jeitinho que você queria, com todos os personagens, bolos e brigadeiros que você gostava”, escreveu Leniel. “Que orgulho de você, meu presente de Deus. Ah, como era lindo te ver crescendo”, prosseguiu.

“Nosso tempo juntos foi muito breve, mas sempre intenso, feliz e muito especial. Daria tudo que tenho por mais um dia com você, por mais um abraço, mais um sorriso, ou ouvir te dizer ‘Papai, eu te amo’.”

Na postagem, a atriz Deborah Secco comentou com corações, e Leniel agradeceu o carinho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar