Menu
Brasil

Adolescente de 15 anos suspeito de matar família é encontrado morto em SP

Ele tinha ferimentos nas costas e a polícia ainda não sabe a causa da morte –se foi acidental, homicídio ou suicídio

Redação Jornal de Brasília

28/05/2024 19h14

Imagem: Reprodução

SIMONE MACHADO
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, SP (FOLHAPRESS)

Um adolescente de 15 anos suspeito de ter matado três pessoas da mesma família foi encontrado morto em um prédio em construção em Bauru (a 329 km de São Paulo) nesta segunda-feira (27).

Ele tinha ferimentos nas costas e a polícia ainda não sabe a causa da morte –se foi acidental, homicídio ou suicídio.

O adolescente, que não teve o nome divulgado, estava sendo procurado pela Polícia Civil desde sexta-feira (24), quando o casal de idosos Joana Sanches Carrasco, 70, e Aparecido Roberto Carrasco, 74, e o genro deles Valdinei de Sousa, 57, foram encontrados mortos na residência onde o casal morava em Agudos (SP), cidade vizinha a Bauru.

Segundo a Polícia Civil, o adolescente era vizinho das vítimas e saiu de casa logo após a localização dos corpos. Um boletim de ocorrência relatando o desaparecimento foi registrado pela família dele no domingo (26).

Em depoimento, a família relatou que o garoto era usuário de drogas e estava agressivo naquela semana após fazer uso de entropecentes e medicamentos.

“A família contou que no dia do crime ele [adolescente] fez uso de drogas e pouco tempo depois tomou banho e saiu de casa levando um saco preto. Ele teria passado a noite de sexta-feira na casa de um amigo e no sábado ido para Bauru. O que aconteceu depois ainda não sabemos”, diz Marcos Jefferson da Silva, delegado que investiga o caso.

Antes de ir para Bauru, o menor teria ido a uma loja na cidade e comprado mais de R$ 300 em roupas.

Ainda segundo a Polícia Civil, na semana em que o crime foi registrado, o adolescente teria se desentendido com a mãe por ela ter tirado o telefone celular dele. No dia do crime ele foi visto por uma testemunha com um celular semelhante ao de uma das vítimas e que ainda não foi encontrado.

“Ouvimos um amigo do adolescente que relatou que ele estava com um celular preto, antigo e conservado, características semelhantes ao celular do idoso”, disse.

Câmeras de segurança de residências próximas do local onde aconteceu o triplo homicídio estão sendo analisadas pela polícia.

“Ainda não encontramos a arma do crime ou esse celular que teria sido roubado. Estamos aguardando alguns laudos e a quebra do sigilo telefônico para avançar no caso. Apesar dessa hipótese de o envolvimento do adolescente ter ganhado força, ainda não descartamos nenhuma outra hipótese”, diz o delegado.

Os corpos das vítimas foram encontrados na casa onde os idosos moravam após a filha do casal e esposa de Valdinei não conseguir contato com eles.

A mulher contou aos policiais que se preocupou com o marido, que havia saído para se exercitar, como de costume, sem levar o celular.

Ao chegar na casa dos pais, a mulher encontrou todos mortos com ferimentos provocados por arma branca. Inicialmente a filha relatou que não percebeu se algum objeto foi roubado e por isso o caso foi registrado como homicídio.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado