Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Na Hora H!

Universitária tem bolo com foto de Hitler e UFPel manda caso para polícia

A universidade enviou as informações para as autoridades policiais “para que as providências adequadas” sejam tomadas

Foto: Reprodução / Redes sociais

Uma estudante de história da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) resolveu comemorar o 24° aniversário com um bolo com uma foto de Adolf Hitler e publicar as fotos da festa nas redes sociais.

Ao tomar conhecimento do caso, a universidade enviou as informações para as autoridades policiais “para que as providências adequadas” sejam tomadas. Em nota, a UFPel disse estar acompanhando de perto os fatos com a “cautela necessária, também para que não aconteçam atos injustos, devido a análises intempestivas”.

“Uma universidade precisa ser um espaço de apoio a todas as pessoas, garantindo direitos, valorizando a vida. A UFPel é contra qualquer forma de enaltecimento ao nazismo, ao fascismo e a autores de crimes contra a Humanidade. Em dias tão tristes como os que estamos vivendo, de pandemia, de afastamento e de crise de valores, precisamos cuidar de nós, cuidar das pessoas à nossa volta, assim como daqueles e daquelas que necessitam do nosso apoio”, escreveu a instituição.

De acordo com a reitora da universidade, Isabela Andrade, a instituição repudia “qualquer apologia ao nazismo ou qualquer outra forma de discriminação”.

Além da instituição, segundo a coluna de Ancelmo Gois, a deputada Juliana Brizola (PDT-RS) entrou com uma denúncia no Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) contra “apologia nazista”.

“Em tempos de proliferação do discurso de ódio, manifestações neonazistas e racistas têm surgido em diversos setores da sociedade, causando a necessidade de ações firmes de todas instituições estatais. É intolerável qualquer manifestação, sob um falso argumento de liberdade de expressão, que faça apologia ao nazismo. Estes símbolos trazem consigo as ideias de intolerância, ódio, racismo e extermínio do outro e não podem, de forma alguma, serem admitidos”, afirmou a deputada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar