Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Na Hora H!

PCDF deflagra Operação Ange Gardien

A PCDF deflagrou a Operação Ange Gardien e prendeu uma mulher suspeita de ter praticado violência doméstica

Por Mariana Haun 20/05/2022 10h50
Foto: Reprodução/ PCDF

Nessa quinta-feira, 19, a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), por meio da 38ª DP, deflagrou a Operação Ange Gardien e prendeu uma mulher suspeita de ter praticado violência doméstica, maus tratos, abandono material e crimes sexuais contra os filhos menores. O ex-namorado da envolvida também foi detido.

A ação teve o objetivo de cumprir dois mandados de prisão temporária e dois de busca e apreensão expedidos em desfavor da acusada, 26 anos, e do indivíduo, 32. A mulher foi detida do Guará e o indivíduo em Taguatinga.

Os fatos ocorreram no ano passado sendo investigados após ação policial da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri). A operação teve o objetivo de prender e cumprir mandado de busca e apreensão contra o homem.

Em 2021, o casal mantinha um relacionamento amoroso e a mulher convivia com os filhos, um menino, 6, e uma menina, 4, em um apartamento na Colônia Agrícola Samambaia, Vicente Pires.

Durante a ação policial, os agentes cumpriram um mandado de busca e apreensão na casa da investigada e constataram as condições precárias de higiene na residência da envolvida.

A avó paterna dos menores, inconformada com a situação insalubre das crianças — que estavam residindo em um apartamento repleto de fezes, urina do cachorro de estimação, restos de alimentos, roupas podres, insetos e lixo — solicitou a guarda dos netos que, após se sentirem seguros, narraram os abusos cometidos. As crianças também apresentavam lesões pelo corpo, além de piolhos e carrapatos.

Os menores relataram os abusos físicos cometidas pela genitora e o namorado e também afirmaram que foram abusados sexualmente pelo namorado da mãe. As crianças presenciaram a mãe consumindo drogas com outras pessoas e exibindo as partes íntimas em um aplicativo de celular, em troca de dinheiro. A mulher também mantinha relações sexuais na frente das crianças.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os menores foram submetidos a depoimento especial, na Delegacia Especial de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), e confirmaram a maioria dos fatos relatados. O menino foi encaminhado ao IML, que atestou lesões e atos de violência.

Os investigados, que não estão mais juntos, foram indiciados pelos crimes de violência doméstica, maus tratos, abandono material, estupro de vulnerável, e satisfação de lascívia mediante presença de criança. Somadas, as penas podem alcançar 30 anos de prisão.

Durante as buscas realizadas na residência da investigada, os agentes constataram que a mulher continuava vivendo nas mesmas condições de higiene (acúmulo de lixo, fezes de cachorro, sujeira e insetos).

As crianças continuam sobre a guarda a avó paterna.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A operação foi batizada de Ange Gardien, que significa anjo da guarda em francês.








Você pode gostar