Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Entretenimento

Missa de Sétimo Dia de Paulo Gustavo será transmitida pela TV

A missa será exibida também no Globoplay, que “estará aberto e, mesmo quem não é assinante da plataforma, poderá acompanhar a despedida”

Foto: Reprodução/Redes sociais

São Paulo, SP

A Missa de Sétimo Dia do ator Paulo Gustavo, que faleceu em 4 de maio, em decorrência de complicações causadas pela Covid-19, irá acontecer nesta terça-feira (11), segundo comunicado divulgado pela assessoria. “Como retribuição a todas as manifestações de carinho que têm recebido, os familiares do artista dividirão a última homenagem com os fãs e admiradores interessados em despedir-se”, diz. “Acompanhando a transmissão à distância e em resguardo, pelo canal Multishow, a partir das 18h30.”

A missa pela alma do ator será exibida também no Globoplay Mais Canais, que “estará aberto e, mesmo quem não é assinante da plataforma, poderá acompanhar a despedida”. A celebração será conduzida pelo reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar, no Santuário Cristo Redentor da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Por fim, o comunicado afirma que “a celebração seguirá as normas internacionais contra o Coronavírus e as regras da Arquidiocese do Rio de Janeiro e da Vigilância Sanitária. Na missa, restrita a parentes e amigos próximos do artista, homenagens serão feitas ao ator e a todas as vítimas da Covid-19.”

Paulo Gustavo morreu na última terça-feira (4), aos 42 anos, após quase dois meses internado em um hospital da zona sul do Rio, devido a complicações da Covid. Antes da confirmação de morte, a equipe médica já tinha classificado seu quadro como irreversível. “Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante”, afirmava o último boletim médico.

O ator foi internado no dia 13 de março e respondeu bem ao tratamento. Porém, no dia 2 de abril, seu estado piorou e ele passou a respirar com a ajuda de ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), uma espécie de pulmão artificial.

Nos dia seguinte, a equipe médica identificou uma fístula broncopleural, espécie de comunicação anormal entre os brônquios e a pleura, que foi corrigida. Paulo Gustavo também teve que receber uma transfusão de sangue, segundo seu marido.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dias depois foi realizada uma toracoscopia, na qual uma nova fístula broncopleural foi identificada e corrigida. “Todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação”, afirmou boletim médico divulgado no último dia 11.

As informações são da Folhapress






Você pode gostar