Entretenimento

‘Estão indo além’, afirma Karol Conká, ao contar que família tem sofrido ameaças

Segundo ela, se pudesse voltar atrás não teria entrado no confinamento. “Me arrependo de ter entrado no BBB. Se eu soubesse que estaria toda estragada não teria ido”

A rapper Karol Conká diz que sua família tem sofrido com ameaças após a artista ser eliminada do BBB 21. Segundo ela, muita gente tem ido além do jogo. Fato semelhante já havia acontecido com Nego Di.


“O erro foi meu e meus parentes estão sofrendo ameaças. Estão indo além do que fui dentro da casa, me apedrejando. Não cometi nenhum crime, me desequilibrei e realmente não sou dessa forma aqui fora”, disse.


Segundo ela, se pudesse voltar atrás não teria entrado no confinamento. “Me arrependo de ter entrado no BBB. Se eu soubesse que estaria toda estragada não teria ido”, disparou.


A partir de agora, Conká quer se reerguer. Em entrevista à Ana Maria Braga, disse que quer recomeçar depois de reconhecer todos os erros que cometeu dentro do reality. “Tudo foi a maneira como me expus. O que posso fazer além de me arrepender é entender que tenho sanidade para procurar ajuda psiquiátrica”, disse.


MAIS DECLARAÇÕES


Em entrevista a Ana Maria Braga, Conká pediu desculpas e se sentiu envergonhada pelas atitudes na casa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“Só cochilei uns 40 minutos essa noite. Sou a nova Carminha ou Nazaré [vilãs de ‘Avenida Brasil’ e ‘Senhora do Destino’, respectivamente]. Achei interessante a forma como eu recebi a notícia. Essa vilã que surgiu dentro de mim não é real do lado de fora. Dentro de casa ficamos meio surtados e despertou em mim alguns traumas. Vou reconhecer meu erro e melhorar”, disse.


De acordo com ela, a culpa de sua saída foi única e exclusivamente pelas “atitudes péssimas” que demonstrou. “Pedia para sair, pois sentia a dor do remorso e da culpa. Estava sendo invadida por amargura, me sentia ácida. Todos têm o lado bom e ruim. Mas o meu lado pior se aflorou e eu me entreguei”, comentou.


Dentro do reality, Karol protagonizou algumas brigas. A mais explosiva foi com Carla Diaz por ciúmes de Arcrebiano. Ela achou que Bil e Carla estavam mais juntos do que de costume, o que não era verdade já que a atriz já estava envolvida com Arthur.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


“Fiquei louca, até me espantei, não tinha visto a cena. Foi bem agressivo o jeito que eu falei. Realmente acreditei naquilo. Tiveram pessoas que falavam que ela estava atrás dele. Infelizmente eu explodi e não aceitei o fato de sentir ciúmes. Não deu tempo de me apaixonar por ele, estava carente e eu me interessei pelo interesse dele por mim. Fui boba, dissimulada”, afirmou antes de pedir perdão à família de Bil e de Carla.


A situação com Lucas Penteado também foi relembrada. Na ocasião, ela o expulsou da mesa para que pudesse almoçar “na paz do Senhor”. Karol disse que todos já estavam perdendo a cabeça com Lucas.


“A gente já estava numa situação com ele e eu estava perdendo a cabeça com ele na casa. Ele ficava às vezes me olhando e dizendo coisas em tom baixo. Ele fez uma coisa com a Kerline na festa e ficamos com aquele alerta. Cheguei já bem irritada. Mais uma vez eu disse que agrediria ele e jamais faria isso.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


A última briga de Conká foi com Camilla de Lucas. Karol chegou a dizer que a influenciadora estaria do outro lado do jogo e que queria promover uma competição entre mulheres pretas. Ao assistir as imagens, Karol se mostrou arrependida mais uma vez.


“Nós conversamos na festa e ela entendeu o ponto que eu não queria duas pretas brigando. Eu estava irritada, pois já tinha rolado treta com Gil. Fui tirar satisfação. Eu causei perturbação na casa e acabei jogando nos outros e fazendo com que eles ficassem tristes”, disse.


Parte da animosidade de Karol pode ser explicada, segundo ela, por traumas de infância. Ela acabou explodindo. “Me considero uma pessoa segura, mas na casa senti insegurança. Não sou acostumada a conviver com pessoas diferentes. Tenho traumas que são despertados por meio de uma reação. Com Lucas, por exemplo, eu lembrava de momentos com meu pai”, disse.


Ela comentou que na escola e em momentos do trabalho já foi recebida com petulância por parte de outras pessoas. “As coisas não eram resolvidas com carinho comigo no colégio, no trabalho. Muitas vezes eu era recebida com rajadas. Não justifica, são coisas minhas e acho importante expor essa fragilidade.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da Folhapress






Você pode gostar