fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Câmara rejeita veto e garante ‘auxílio fardamento’ a servidores da Saúde e Samu

O projeto não fixa um valor para o chamado “auxílio fardamento”

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Os servidores da Secretaria de Saúde e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Distrito Federal que são obrigados a usar fardamento (uniforme) vão passar a receber auxílio financeiro para a aquisição desses bens.

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), durante sessão remota nesta quinta-feira (17), garantiu o benefício, previsto no projeto de lei nº 616/2019, quando os distritais derrubaram, de forma unânime, o veto total do governador Ibaneis Rocha.

O projeto não fixa um valor para o chamado “auxílio fardamento”; contudo, estabelece que a indenização deve consistir em montante necessário para a aquisição de jalecos e demais itens de uso pessoal obrigatório, no caso dos profissionais que atuam na Secretaria de Saúde; bem como de soma para a aquisição de calça, camiseta, colete, macacão, bota, boné, luva, cinto e outras peças, para os integrantes do Samu. Segundo o projeto, o gasto anual estimado com os uniformes é de R$ 1 mil por profissional.

Ao agradecer o apoio dos colegas para a derrubada do veto, o autor da matéria, deputado Jorge Vianna (Podemos), lembrou que o uniforme é uma espécie de equipamento de proteção individual (EPI) para os trabalhadores da Saúde e do Samu. Ele apontou, ainda, que o auxílio fardamento já está previsto no regime jurídico dos servidores públicos do DF.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com informações da CLDF




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade