Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Velocidade: vacina em jovens de 18 anos só em março de 2022

Osnei Okumoto, lembrou que no mês de maio o DF recebeu do Ministério da Saúde apenas 60% das doses que estavam previstas

Por Catarina Lima 07/06/2021 6h08
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

A previsão de vacinar contra covid ainda este ano todo o público alvo do Distrito Federal, como foi anunciado pelo governador Ibaneis Rocha, não deverá se cumprir, caso seja seguido o cronograma de imunizar a cada semana uma faixa etária, a começar por 58 anos, informado pelo GDF. Se a vacinação acontecer desta maneira, os jovens de 18 anos receberão a vacina apenas na terceira semana de março de 2022. O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, lembrou que no mês de maio o DF recebeu do Ministério da Saúde apenas 60% das doses que estavam previstas. “Vamos vacinar, mas para isso dependemos de recebermos as doses”, frisou o secretário. O chefe da Casa Civil Gustavo Rocha, disse que o governador Ibaneis Rocha tem urgência na vacinação

Na entrevista coletiva realizada ontem, Gustavo Rocha anunciou que ontem mesmo seria iniciado o agendamento para vacinação de pessoas com 58 anos e a imunização acontecerá a partir de hoje, com início às 9 horas. De acordo com Rocha, existem na cidade 28.991 pessoas nesta faixa etária, mas destas, 7.491 já foram vacinadas por fazer parte de algum grupo especial. Apesar do grande número de pessoas de 58 anos, Osnei Okumoto garantiu: “temos doses para todas essas pessoas”. Gustavo Rocha, ressaltou que a retomada da vacinação por faixa etária só foi possível devido ao remanejamento de doses antes destinadas a públicos específicos que não compareceram aos postos de imunização para se vacinar.

A expectativa era de que o DF recebesse ontem 30.420 doses de vacinas da Pfizer. Todas deverão ser utilizadas para a primeira dose do processo de imunização. Destas, 27.094 vão ser destinadas a pessoas com comobirdades, entre as quais gestantes e puérperas.

Rodoviários

Durante a entrevista coletiva, o chefe da Casa Civil alertou para que os que têm direito a receber o imunizante que se vacinem. “Os rodoviários reivindicaram a vacinação da categoria, mas 40% dos que estavam na lista fornecida pelo sindicato para se vacinar com as primeiras doses, não compareceram aos postos. A Secretaria de Saúde devolveu a lista ao sindicato para que eles a revejam”, explicou.

O diretor do Sindicato dos Rodoviários, João Osório, disse que ainda não teve acesso aos dados de quantos motoristas e cobradores tomaram a vacina, mas que vai reunir informações. “Algumas situações precisam ser observadas, como o caso dos rodoviários que haviam tomado a vacina da gripe e não puderam ser vacinados contra a covid. Também há os que foram imunizados por comorbidades e alguns não tiveram acesso às informações em tempo hábil para procurar os locais de vacinação”, explicou o dirigente sindical.

Consórcio Brasil Central

O governo do DF aguarda a análise por parte do Consórcio Interestadual do Brasil Central, sobre a compra da vacina indiana, Covaxin, autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo o secretário de Saúde, está sendo feita uma avaliação do valor do imunizante. “O que foi liberado para compra pela Anvisa é um quantitativo de 1 milhão. A quantidade que chegaria aqui no Distrito Federal é muito menor do que o governador Ibaneis esperava”, explicou Okumoto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar