Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Sete escolas públicas recebem doações de eletrônicos

Entre os itens doados, estão 52 desktops formatados com o pacote Windows, 49 monitores e 22 impressoras

Foto: Foto: Mary Leal/SEE

As sete escolas da Coordenação Regional de Ensino de Sobradinho receberam doações de equipamentos eletrônicos nesta sexta-feira (30). Os centros de ensino fundamental 05, 09 e 10 e escolas classe 14, 17, Lobeiral e Sonhém de Cima poderão agora melhorar a inclusão de seus alunos.

Entre os itens doados, estão 52 desktops formatados com o pacote Windows, 49 monitores e 22 impressoras, além de teclados e mouses em perfeito estado de uso. Os equipamentos estavam ociosos devido à necessidade da agência de adquirir máquinas com novas funcionalidades.

O diretor-presidente da Adasa, Raimundo Ribeiro, lembrou que a pandemia expôs a desigualdade social e digital enfrentada por estudantes do DF. “Nossa intenção é promover o acesso a dispositivos e à conectividade nessas escolas”, afirmou. “Por meio da doação, conseguimos reaproveitar da melhor maneira os equipamentos que estavam em desuso, gerando oportunidades iguais para esses alunos.”

Para a coordenadora da Regional de Ensino de Sobradinho, Márcia Brants, os materiais chegam em um momento muito importante, devido ao retorno das atividades presenciais. “Eles vão possibilitar que os professores atendam os alunos que optaram por não retornar às aulas”, pontuou. “Em média, atenderemos mais de dois mil alunos nessa situação”.

A secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, falou sobre as mudanças nas relações de trabalho e pedagógicas em função da pandemia. “Tivemos de nos reinventar”, disse. “A educação nunca mais será a mesma. A tecnologia veio para ficar. O sistema remoto vai fazer parte das nossas relações de trabalho para sempre, como uma ferramenta complementando o processo de ensino aprendizagem. Então, fico muito feliz de receber neste momento a doação desses equipamentos.”

O coordenador do programa Reciclotech, Anderson Freire, que representou a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), explicou como o projeto da pasta tem contribuído para diminuir o déficit de alunos sem acesso às aulas on-line: “Realizamos drive-thru para recolher esses resíduos, recondicionamos e distribuímos para escolas públicas, ONGs [organizações não governamentais] e entidades. Desse modo, conseguimos promover o descarte consciente do lixo eletrônico e a inclusão digital.”

Educação adistrmbiental virtual

O programa de educação ambiental da Adasa voltado a alunos dos ensinos infantil e médio do DF atuou de forma remota no primeiro semestre deste ano letivo. As ações do Adasa na Escola, que contam com apresentações sobre o uso racional da água e a destinação correta dos resíduos sólidos, foram adaptadas para as plataformas on-line utilizadas por instituições das redes públicas e privadas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entre março e junho deste ano, o programa contemplou mais de 7,2 mil estudantes de 28 escolas. Com o retorno no formato híbrido nas  aulas, a tendência é que o programa retorne gradativamente ao atendimento presencial.

A instituição que tiver interesse em conhecer mais sobre o Adasa na Escola e em agendar uma apresentação pode acessar o site do programa, no qual também é possível baixar o material didático.

As informações são da Agência Brasília

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar