Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Maio Amarelo: ciclistas se reúnem em Taguatinga

O grupo percorreu 7,5 quilômetros pelas margens do Pistão Norte, na Estrada Parque Contorno, que teve duas de suas três faixas bloqueadas

Foto: Agência Brasília

Em comemoração ao Maio Amarelo, cerca de 1,6 mil pessoas se reuniram no Taguaparque na manhã deste domingo (22). O mês é dedicado à conscientização da redução de acidentes de trânsito.

O grupo percorreu 7,5 quilômetros pelas margens do Pistão Norte, na Estrada Parque Contorno, que teve duas de suas três faixas bloqueadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem da capital (DER-DF).

Para o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, o passeio é uma boa maneira de trabalhar a educação no trânsito e o respeito ao ciclista. “O Distrito Federal tem a segunda maior malha cicloviária do país, um motivo de muito orgulho para nós”, comentou.

O diretor-geral do DER, Fauzi Nacfur, informou que, desde a criação do Maio Amarelo, em 2014, foi observada uma redução dos acidentes. “Acreditamos muito na educação dos motoristas como forma de evitar mortes no trânsito”, afirmou. “Só vamos ficar tranquilos quando conseguirmos zerar o número de ocorrências”.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Distrito Federal registrou redução de acidentes fatais. De acordo com levantamento do Departamento de Trânsito (Detran-DF), o ano passado mostrou queda de 26% no número de mortes em relação a 2020. De 2019 para 2020, a redução havia sido de 17%.

Ciclista há dez anos, a design de interiores Nara Núbia Lopes, 39 anos, elogiou o passeio organizado pelo DER. “Esse tipo de ação é muito importante porque ainda há desrespeito de alguns motoristas por aqueles que pedalam. Mas a situação hoje é muito melhor do que no passado”, disse.

O Detran aponta que, em 2021, o DF teve o menor índice de mortes de ciclistas dos últimos 21 anos – oito pessoas perderam a vida pedalando nas ruas, 58% a menos do que em 2020. A redução é ainda mais expressiva quando comparado a 2019, quando 22 ciclistas sofreram acidentes fatais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O trânsito ainda é um dos maiores causadores de morte do mundo. No Maio Amarelo, intensificamos o trabalho junto aos motoristas para que haja mais respeito pelas leis de trânsito e mais empatia pelo próximo”, comentou a diretora de Educação do Trânsito do DER, Jucianne Nogueira. “Imprudências como excesso de velocidade, uso de celular ao volante e a mistura de álcool e direção são as principais responsáveis por acidentes”.

As informações são da Agência Brasília








Você pode gostar