Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Enclos du Winehunter: a história de dois caçadores de vinhos

O brasileiro Vicente Jorge e o francês Manu Brandão são os nomes à frente da Enclos du Winehunter. Vicente esteve em Brasília nesta semana, e a coluna aproveitou para visitá-lo

Por Cynthia Malacarne 03/11/2023 10h37
Foto: Cynthia Malacarne

Teria profissão melhor do que ser um “caçador de vinhos”? Ou seja, percorrer o mundo vitivinícola a procura de bons rótulos? Eu acredito que não.

Essa é a história de dois amigos, o brasileiro Vicente Jorge e o francês Manu Brandão, que tinham um sonho em comum: elaborar seu próprio vinho. Em 2012, resolveram viajar pelo mundo, no intuito de encontrar o melhor terroir, uvas e enólogos, para concretizar esse sonho.

Vicente e Manu são considerados os maiores “winehunters” do mundo, porque, durante quase 7 anos, eram os responsáveis pela seleção dos vinhos da Wine.com. Os amigos chegavam a provar em média 2 mil vinhos por mês para selecionar os vinhos deste clube.

Com todo esse conhecimento, se tornava mais fácil escolher os melhores locais para a produção de seus vinhos. Assim, nasceu “Enclos du Winehunter”. A palavra “enclos” em francês significa “o que está dentro de um clos”, de uma propriedade fechada. A garagem da propriedade do Manu, em Saint Émilion, na França, se transformou num lugar de degustação e virou um “enclos”. Ali há uma adega para 1 mil garrafas, pia com água quente e tudo mais que é necessário para degustar vinhos e assim selecionar os melhores.

Vicente Jorge, sócio da Enclos du Winehunter. Foto: Cynthia Malacarne

Após Vicente e Manu tomarem a decisão de produzir o próprio vinho, era necessário buscar um parceiro que tivesse todo o “know-how”, como as uvas e a equipe de enologia que pudesse elaborar o vinho conforme as características desejadas pelos dois sócios. Assim, convidaram o Château Bellefont Belcier, em Saint Émilion (França), para fazer parte do projeto. Desta forma, começaram a produzir os vinhos franceses desse projeto nesta propriedade, sempre supervisionado e com as características sensoriais estabelecidas pelos winehunters.

Foto: Cynthia Malacarne

Vicente esteve em Brasília para divulgar sua linha de vinhos, que são comercializados na loja de vinhos Más Vino, na 306 Sul. Além disso, é possivel também encontrá-los no restaurante Trattoria da Rosario (QI 17, Lago Sul).

Foto: Cynthia Malacarne

A linha francesa do projeto já possui 7 anos, e todos os vinhos são provados e pontuados por James Sucklings. Com o sucesso, foram surgindo outros projetos — um deles é realizado com o mundialmente famoso Michel Rolland, na África do Sul, em sua vinícola, Marianne.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Foto: Cynthia Malacarne

Vicente comentou à coluna que, como ele conhece muitos enólogos, surgem diversos pedidos para elaboração de vinhos em conjunto. Foi o caso de Cristian Vallejo, da Viña VIK, que deu origem ao vinho E WH, cuja proposta era fazer um VIK diferente, mais mineral, com menos explosão de fruta e mais Merlot no blend. Inclusive o rótulo foi pensado no estilo VIK, sendo inserida apenas a figura do cachorro dogue de Bordeaux, que é a mascote do Enclo Winehunter.

Foto: Cynthia Malacarne

Até o momento, a linha de vinhos Enclos Winehunter possui rótulos elaborados na França, África do Sul e Chile, mas a ideia é expandir para outros países. Vicente disse que há várias propostas, inclusive para a elaboração de um vinho nacional.

Vicente ressaltou que eles não compram um vinho e colocam a etiqueta, todos os cortes dos vinhos são escolhidos e registrados pelos sócios. São vinhos exclusivos do projeto e comercializados apenas pela importadora All Wine.

Toda a linha de vinhos Enclos Winehunter está à venda na Más Vino, na CSL 306 Asa Sul. Os preços variam entre R$ 139,00 a R$ 450,00.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar