Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Professores também são profissionais da voz

Professores não se reconhecem nem são reconhecidos como profissionais que trabalham com a voz, tampouco recebem orientações para seu uso adequado

Por Luana Tachiki 31/10/2023 12h22
Imagem ilustrativa/Freepik

O mês de outubro chega ao fim nesta terça-feira (31), e não podemos deixar de pontuar a celebração de uma categoria muito especial, responsável pela transformação de vidas através do conhecimento e do ensino: a dos professores. Em 05/10, comemora-se o Dia Mundial do Professor, e em 15/10, o Dia Nacional.

Já em 10 de outubro, é celebrado o Dia Nacional da Segurança e Saúde nas Escolas. Neste âmbito, a Fundação Jorge Duprat Figueiredo (Fundacentro) e o Governo Federal promoveram, no último dia 10, o IV Seminário do Trabalho e Saúde dos Professores. O evento teve como pauta transtornos mentais, distúrbios de voz e violência, questões que vêm crescendo exponencialmente na profissão e que traz uma reflexão para sociedade e autoridades desde 2014.

De acordo com a Fundacentro (órgão federal vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego), os professores não se reconhecem nem são reconhecidos como profissionais que trabalham com a voz, tampouco recebem orientações para seu uso adequado. Em uma pesquisa realizada com docentes da rede municipal de São Paulo-SP, em 2021, 57,3% apresentavam distúrbios de fala.

Além disso, o distúrbio de voz relacionado ao trabalho é mais frequente em docentes e teleoperadores, como aponta estudo descritivo com dados fornecidos pelo Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest). As informações foram coletadas de abril de 2017 a fevereiro de 2018. Os profissionais atendidos com maior frequência foram professores (24), teleoperadores (16) e radialistas (15). Entre os fatores identificados na causa dos distúrbios, predominaram os relacionados ao ambiente de trabalho (24).

Imagem ilustrativa/Freepik

Quem são os profissionais da voz?

São pessoas que dependem da fala para exercerem suas profissões. Isto é, são aqueles que, em situações de afonia (perda da voz temporária ou permanente), ficam impossibilitados de trabalhar. Temos como exemplo dubladores, atores, jornalistas de rádio, TV e plataformas digitais, professores, locutores, radialistas, cantores, operadores de telemarketing, dentre outros.

Considerando-se ou não como profissional da voz, é primordial manter cuidados para perdurar a qualidade vocal e evitar distúrbios. Portanto, atenção às dicas de ouro:

Estou rouco, mas não posso parar. O que fazer?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Fale menos. Poupe a voz enquanto durar a rouquidão;
  • Fale mais baixo, mas não sussurre. O sussurro exige ainda mais esforço;
  • Articule bem a voz ao falar;
  • Mantenha-se em silêncio por alguns minutos quando possível;
  • Beba bastante água;
  • Se perdurar a rouquidão por mais de 15 dias, procure um otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo.

O que fazer com o cansaço após uso intenso da fala?

  • Mantenha-se em silêncio e beba bastante água.

Voz híbrida ou voz natural?

  • Quando possível, opte pelo uso do microfone para poupar o esforço das pregas vocais.

Tomar uma dose de conhaque antes das apresentações serve como aquecimento vocal?

  • Não. Além disso, o ouvinte não perceberá seu esforço vocal (grito, volume alto) por causa do efeito da bebida.

Roupas e acessórios alteram a voz?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Sim. Roupas apertadas dificultam a respiração diafragmática; lenços, gravatas e colarinhos apertadas vão atingir a laringe e as cordas vocais; salto alto altera a postura, enrijecendo o corpo e aumentando as tensões.

Posso beber água gelada?

  • Pessoas que se resfriam/ficam gripadas com facilidade devem evitar;
  • Pessoas sem essa sensibilidade podem tomar até mesmo após o uso intensivo da voz para alívio, como alguém que toma uma pancada no joelho e faz compressa com gelo.

Quando devo ter os cuidados com o trato vocal?

  • Todos os dias. Principalmente se você for um profissional da voz, assim como um atleta esportivo se cuida diariamente com treino e dieta. Quem não trabalha com oratória também precisa manter cuidados diários, como não gritar nem competir com ambientes ruidosos, por exemplo.

Qual a função do aquecimento e desaquecimento vocal?

  • O aquecimento prepara o aparelho contador para o uso intenso, combate a disfonia (perda da qualidade vocal) e protege as pregas vocais. Já o desaquecimento faz a voz retornar aos ajustes naturais.

Como combater o envelhecimento vocal?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Aquecimento, de 15 a 20 minutos, e desaquecimento, por cinco minutos.

Como saber se estou fazendo o aquecimento vocal da maneira correta?

  • A voz ganhará qualidade, fluidez, projeção e sairá “limpa”. Além disso, você não terá exaustão.

Devo mudar a voz para me apresentar no rádio ou TV?

  • Se apresentador: sim, de acordo com as exigências do veículo;
  • Se entrevistado: não. Apenas uma boa articulação e projeção vocal bastam.

O que preciso fazer para ter uma boa projeção vocal?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
  • Respiração eficiente com diafragma;
  • Boa articulação dos sons;
  • Exercícios de aquecimento, respiração e dicção.
Imagem ilustrativa/Freepik

O livro “Trabalho e Saúde dos Professores – Precarização, adoecimento e caminhos para a mudança” fala mais sobre o assunto. O seminário da Fundacentro citado no início do texto também abordou o tema:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este texto usou trechos do Manual da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia.






Você pode gostar