Siga o Jornal de Brasília

Professor M.

Inovação em Pessoas e evolução do Mindset

Existem diversos tipos de inovação, mas pouco se fala de Inovação em Pessoas. A evolução do mindset é essencial para se inovar nesse tema.

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

 

Os conceitos de inovação normalmente não inserem claramente e diretamente as pessoas em seus dizeres. Tratam de forma indireta, agregada e incorporada as pessoas na definição de inovação.

Claro que todo processo de inovação é totalmente dependente de pessoas, e não se inova sem elas. Inovações são realizadas por pessoas para pessoas, para resolver problemas de pessoas e de organizações compostas por pessoas.

Vamos relembrar alguns conceito de inovação declarados no artigo ‘Inovar versus Inventar! Sinônimos versus Antônimos’. A Organização para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OCDE), em seu Manual de Oslo, define Inovação como:

“[…] a implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente melhorado, ou um novo processo, ou um novo método de marketing, ou um método organizacional nas práticas de negócios, na organização do local de trabalho ou nas relações externas” (OCDE; FINEP, 2005).

O economista e cientista político austríaco Schumpeter, definiu inovação na primeira metade do século XX como:

“[…] uma invenção é uma ideia, esboço ou modelo para um novo ou melhorado artefato, produto, processo ou sistema. Uma inovação, no sentido econômico somente é completa quando há uma transação comercial envolvendo uma invenção e assim gerando riqueza”. (1)

O dicionário Michaelis exibe Inovar como “fazer inovações; introduzir novidades; produzir ou tornar algo novo; renovar, restaurar”.  No dicionário Priberam, Inovar significa “introduzir novidades; renovar; inventar; criar”. E Inventar é definido como “fazer o invento de; idear; criar”.

Ernest Gundling define Inovação como uma nova ideia implementada com sucesso, que produz resultados econômicos. C. K. Prahalad afirma que Inovação está relacionada a adotar novas tecnologias que permitem aumentar a competitividade da companhia.

É perceptível que ‘Pessoas’ não está no escopo principal da definição de Inovação. Existe uma relação direta, mas não é explicitada, ficando subentendido que é parte intrínseca do processo de inovar.

Tipos de Inovações

Os tipos de inovação mais tratados nos ambientes acadêmico, empresarial e profissional estão relacionados a processos e produtos. Conhecer e diferenciar os tipos, características e aplicações é importante para uma melhor aplicação e estratégia de utilização.

É também relevante entender esses tipos para se compreender o papel das pessoas nessas inovações, suas contribuições e colaborações no processo de inovar.

1. Inovação em processos

Tem como objetivo tornar mais eficaz, efetivo e eficiente os processos produtivos da organização, normalmente com enfoque em custo, qualidade, tempo, matéria-prima, compostos, energia, tecnologia, produtividade, logística e layout.

2. Inovação em produtos

Focada na melhoria e evolução de produtos existentes ou no desenvolvimento de novos produtos (ineditismo) aproveitando oportunidades de negócios existentes ou novas a explorar.

3. Inovação em serviços

Objetiva principalmente agregar valor ao portfólio de produtos existentes, bem como no de novos. Procura gerar benefícios aos clientes e consumidores atuais ou na prospecção de novos. Também pode estar ligada a experiências ou ser uma iniciativa independente e isolada de algum produto.

4. Inovação em Marketing

Ligada diretamente aos temas publicidade e propaganda de negócios financeiros ou sociais. Envolve também o processo de prospecção e captação de novos clientes e consumidores, principalmente no mundo virtual, atualmente.

5. Inovação organizacional

Envolve aspectos evolutivos e (ou) de ineditismo de organização, otimização, estrutura, métodos, gestão, ambiente, comunicação, atividades, funcionamento, operação, funções, produção e desempenho organizacional. Gerar valor para a organização e stakeholders.

6. Inovação em modelo de negócio

Abrange novos padrões de proposta de valor a ser entregue aos clientes e ao mercado, gerando “novo valor” e não necessariamente novos produtos e serviços. Os motivadores mais comuns para esse tipo de inovação são: (i) demanda x oferta de mercado, (ii) necessidades dos clientes/consumidores, (iii) processos organizacionais, (iv) canais e logística, e (v) produtos/serviços.

7. Inovação tecnológica

Representa alterações, mudanças e transformações em técnicas, modelos, ferramentas, processos, métodos, meios, ações, compostos, elementos, ambientes, componentes, materiais, produtos e serviços impactados pela tecnologia. Comumente envolve a busca de novos conhecimentos, desenvolvimento de vantagem estratégica e competitiva e harmonização entre as questões financeiras, sociais e ambientais.

8. Inovação em logística

Compreende evoluções em temas como armazenagem, depósitos, estoques, inventário, separação, organização, distribuição, entrega, canais, ambientes físico e virtual, rotas, frotas, reversão, rastreamento, custos, integração, pessoas, automação/automatização, ciclos, parcerias, compartilhamentos, segurança e eficiência.

Por conta da Inovação impactar em vários aspectos as organizações, empresas, profissionais, pessoas e mercados, não se esgota nos oito tipos acima descritos as possibilidades de se inovar.

Inovação em Pessoas

Se considerarmos que Inovar é transformar algo existente em diferente ou fazer algo novo, inferimos a possibilidade de se aplicar essa perspectiva às pessoas nas organizações. É admissível capacidade das pessoas mudarem seus pensamentos, habilidades e atitudes no caminho de novos conhecimentos e competências profissionais.

Martin Bell e Keith Pavitt afirmaram que “a inovação pode ser vista como um processo de aprendizagem organizacional” (2). Considerando que os processos de aprendizagem envolvem pessoas, e que aprender compreende desenvolver novos conhecimentos, habilidades e atitudes, é plausível afirmar que não existe ‘aprender’ nas organizações sem envolver e conter pessoas.

Peter Drucker foi quem se aproximou de consolidar ‘pessoas’ no conceito, quando afirmou que Inovação “é o ato de atribuir novas capacidades aos recursos (pessoas e processos) existentes na empresa” (2).  Apesar da controversa associação de pessoas como ‘recursos’ da empresa, é uma inferência positiva no contexto da inovação.

Podemos afirmar com convicção, que é possível ‘Inovar em Pessoas’ a partir da perspectiva de evolução do conhecimento por meio da aprendizagem que objetive aprimorar, aperfeiçoar, ampliar e originar novas competências profissionais à pessoas.

Mindset  e Inovação em Pessoas

Apesar de ser mais um estrangeirismo que importamos para o Brasil, o termo Mindset se aplica à perspectiva de Inovação em Pessoas. ‘Mind‘ que significa ‘mente’, e ‘set‘ que podemos traduzir nesse contexto como ‘configuração’; compõem o conceito de ‘configuração da mente’ ou, a forma como configuramos nossa mentalidade, nossa ‘atitude mental’.

É possível alterar o mindset na busca de mudança da atitude mental de funcionários, servidores e colaboradores, em pról do surgimento de um pensamento inovador e transformador na organização e nos negócios.

Para isso existem alguns pontos a serem considerados para que se produza a Inovação em Pessoas. Vejamos algumas ações que podem potencializar a mudança de mindset:

1. Atitude Mental transformacional

Desenvolver pensamentos e atitudes focadas em transformar a realidade atual das coisas na organização. Compreender a realidade do momento e focar na melhoria e evolução. Sempre é possível avançar mais e ir além do estágio atual das coisas, superar os limites do momento, quebrar paradigmas.

2. Oposição ao negativismo

Experiências do passado, tanto negativas quanto positivas, influenciam na atitude mental atual e na elaboração de pensamentos futuros. É difícil combater os pensamentos negativos mas, podemos usá-los como aprendizado para ações futuras e transformá-los em combustível para a inovação.

3. União ao positivismo

Foco nos pensamentos e ideias positivas, atitude mental de reflexão positiva. Carregue a certeza de que está caminhando na estrada correta da inovação e que chegará ao objetivo desejado de evolução e transformação das coisas.

4. Virar a página

Busque estímulos e inspiração em pessoas, organizações e no que te mover e levar a uma atitude mental positiva para inovar. O apego ao passado nos faz evitar a elaboração do futuro. Passado é aprendizado, é importante, é valoroso, é influenciador.

5. Administre positivamente os erros

Procure transformar os erros do passado no estoque de experiências para construir o futuro. Enriqueça sua ‘caixa de ferramentas’ do pensamento e atitude inovadora com os erros do passado, seus, da sua organização e de terceiros.

6. Resiliência

Explore e aperfeiçoe a capacidade de se adaptar às mudanças. Seja o agente da própria mudança. Se molda melhor e bem mais facilmente quem constrói a própria mudança, quem produz e concebe a atitude mental inovadora.

Dessa forma, Inovação em Pessoas consiste em ações que tenham como objetivo transformar o pensamento e preparar a atitude mental dos integrantes da organização para a inovação.

As organizações devem procurar desenvolver programas de capacitação e planos de comunicação que resgatem, aflorem e criem atitudes mentais propícias à configuração da mente das pessoas para a inovação.

———————————————————————————————————————–

(1)     SCHUMPETER, J. A. A teoria do desenvolvimento econômico.
São Paulo: Nova Cultural, 1988.

(2)     apud LIPPI, R.; SIMANTOB, M. Guia valor econômico de inovação
nas empresas
. São Paulo: Globo, 2003.

(3)     DRUCKER, P. F. As novas realidades: no governo e na política,
na economia e nas empresas, na sociedade e na visão do mundo. 2. ed.
São Paulo: Pioneira, 1989.

———————————————————————————————————————–

Prof. Manfrim, L. R.

Compulsivo em Administração (Bacharel). Obcecado em Gestão de Negócios (Especialização). Fanático em Gestão Estratégica (Mestrado). Consultor pertinente, Professor apaixonado, Inovador resiliente e Empreendedor maker.

Explorador de skills em Gestão de Projetos, Pessoas e Educacional, Marketing, Visão Sistêmica, Holística e Conectiva, Inteligência Competitiva, Design de Negócios, Criatividade, Inovação e Empreendedorismo.

Navegador atual nos mares do Banco do Brasil e UDF/Cruzeiro do Sul. Já cruzou os oceanos do IMESB-SP, Nossa Caixa Nosso Banco (NCNB) e Cia Paulista de Força e Luz (CPFL).

Freelance em atividades com a Microlins SP, Sebrae DF e GDF – Governo do Distrito Federal.

Contato para palestras, conferências, eventos, mentorias e avaliação de pitchs: professor.manfrim@gmail.com.

Linkedin – Prof. Manfrim

Currículo Lattes – Prof. Manfrim

__________________________________________________________________________________________


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade