Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Quem vai subir?

Foto: Divulgação/CBF

Sem equipes tradicionais do eixo Rio-São Paulo ou Minas-Rio Grande do Sul na Série B deste ano, a competição perdeu o seu foco de interesse, mas a competitividade segue alta até as rodadas finais. É bem verdade que o campeão já está definido, o Vitória-BA, mas as três vagas remanescentes para a elite do futebol brasileiro do ano que vem seguem em um ritmo frenético. Do 2º colocado até o 9º, a diferença é de apenas quatro pontos.

Após um início muito bom, o Sport deixou o G4 há algumas rodadas. Longe de se comparar ao Botafogo, mas é uma perda de ritmo enorme no segundo turno – ainda que a Série B possua viagens mais desgastantes. Assim como o próprio alvinegro carioca, muitos diziam que o Leão da Ilha poderia até não conquistar a taça, mas que o acesso já estava assegurado. Hoje, o time está na quinta posição, tendo pela frente o campeão Vitória, que fará o seu primeiro jogo como campeão em sua casa, e o Sampaio Correa, que luta contra o rebaixamento, na rodada final.

Atualmente, a situação está mais favorável a Criciúma, Juventude e Atlético-GO, todos com 61 pontos – um a mais do que o Sport. Essas equipes dependem apenas de si para garantirem o acesso à elite do futebol em 2024, sendo que não haverá confrontos diretos entre eles. Alguns terão tabelas mais complicadas, enfrentando times que ainda almejam a taça, caso do Atlético-GO, que pega o Mirassol (SP) e Guarani (SP).

Por falar nesses dois times paulistas, ambos estão na corrida final para obterem um ingresso na Série A do próximo ano. Para tal, não poderão perder ou empatar os seus jogos neste fim de semana, já que a vantagem atual é de quatro pontos para os times do G4. Junto ao Mirassol e o Guarani, campeão brasileiro de 1978, também tem o Novorizontino, com 57 pontos. Este possui vantagem de ter mais vitórias em relação aos seus adversários, o que pode ser um fator determinante para o acesso. Time que menos empatou na competição (em seis oportunidades), só não está no G4 em função do alto número de derrotas (13 no total). Caso tivesse empatado quatro desses jogos, estaria à frente do Atlético-GO em função do critério de desempate.

Quem também luta pelo acesso à Série A de 2024 é o Vila Nova. A equipe de Goiânia vem batendo na trave com uma grande frequência. A equipe não sabe o que é disputar a primeira divisão há quase 40 anos. Seu último ano na principal divisão nacional foi em 1985, também tendo participado em 1980, 1981 e 1983.

As últimas rodadas da Série B também serão determinantes para conhecermos os times rebaixados à terceira divisão. E aqui, um ponto bem triste. A Chapecoense, que passou por maus bocados em função do trágico acidente aéreo, em 2016, está na luta contra o descenso. Hoje, o time está na 17ª posição, com 36 pontos, empatado com o Sampaio Correa, mas com uma vitória a mais. Esses dois times lutam pela permanência contra a Tombense (37) e a Ponte Preta (38). Dois deles irão cair, juntando-se a Londrina e ABC-RN, que já selaram o seu destino para a Série C.
É sempre bom lembrar que os quatro times que subirão para a Série B já foram definidos: o Amazonas, que teve como principal jogador o polêmico atacante Sassá, ex-Botafogo; o Brusque-SC; o Operário-PR e o Paysandu. Manaus, América-RN, Altos-PI e Pouso Alegre-MG foram rebaixados para a Série D, trocando de lugar com Ferroviário-CE, Ferroviária-SP, Athletic Club-MG e Caxias-RS, sendo esses últimos dois os algozes dos times do Distrito Federal, Brasiliense e Ceilândia, respectivamente, na fase mata-mata.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar