fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Torcida

William perde pênalti e Palmeiras vê Botafogo derrubar série invicta de 20 jogos

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Vamos, Botafogo! O grito vindo do banco de reservas, assim que o apito para o início do segundo tempo começou, seria uma premonição no Engenhão. Foi um sopro que rendeu frutos com somente quatro minutos. Dois gols relâmpagos que serviriam para o time carioca acabar com a impressionante série invicta de 20 jogos do Palmeiras ao ganhar por 2 a 1. William diminuiu, sofreu e desperdiçou um pênalti no fim que poderia garantir ao menos um ponto no Rio.

Depois de um primeiro tempo sonolento, o Palmeiras voltou para a etapa final desligado e logo com 53 segundos, pagou caro pela falta de concentração. Kevin cruzou rasteiro e Pedro Raul se antecipou para desviar as redes. Felipe Melo esbravejou, mas não acompanhou o atacante.

Para piorar a situação, numa cobrança de falta errada de Victor Luís, a bola bate em Pedro Raul, a aposta de Bruno Lazaroni para o jogo, e sobra para Caio Alexandre. O auxiliar marca o impedimento. Os palmeirenses tinhamcerteza da irregularidade. Contudo, após quatro minutos de consulta ao VAR, o gol foi confirmado r desestabilizou completamente os visitantes.

O Palmeiras que quase nada havia sofrido, em quatro minutos tinha um prejuízo enorme pela frente. Precisava colocar os nervos no lugar e mostrar força. Até diminuiu, com William, que seria um personagem a parte na reta final do jogo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O atacante apareceu livre aos 38 minutos e levou uma solada de Diego Cavalieri. Mais uma vez o VAR mudaria uma aplicação em campo. O auxiliar deu impedimento do palmeirense, mas a posição era legal. Pênalti! William assumiu a cobrança e parou no goleiro Diego Cavalieri.

Foi um dia sem sorte de Vanderlei Luxemburgo com seus atacantes. O técnico optou por manter o trio ofensivo com Wesley, Rony e William. A ideia era explorar o que deu muito certo nas duas últimas vitórias, contra Bolivar (5 a 0) e Ceará (2 a 1).

Se nos dois jogos anteriores os atacantes produziram bastante, no primeiro tempo no Engenhão quase passaram despercebidos. Wesley só apareceu ao levar cartão amarelo numa falta boba no fim da etapa. William teve a grande chance em 45 minutos, mas a bola raspou a trave.

O Palmeiras que havia reencontrado o caminho das vitórias através de futebol em grande intensidade não deu as caras no primeiro tempo. Mas também quase não foi ameaçado num início bastante sem graça e de emoção zero.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Necessitando desesperadamente de um triunfo, Bruno Lazaroni ousou com escalação de dois centroavantes. Porém, seu Botafogo é bem limitado e Pedro Raúl e Matheus Babi limitaram-se a criar apenas um bom lance.

No jogo do sono, foi duro achar chance boa. Patrick de Paula assustou num chute rasteiro e William lamentou muito sua “casquinha” não entrar após cobrança de escanteio de Raphael Veiga. Diego Cavalieri tirou com os olhos, pois não tinha o que fazer no lance.

Pouco para equipes que prometiam buscar a vitória para “colar nos líderes”, caso palmeirense, e “fugir da degola” do lado botafoguense. Fariam milagres nós vestiários os técnicos?

O Botafogo voltou ligado e em menos de um cinco minutos, já vencia por 2 a 0. Pedro Raul abriu o placar com somente 53 segundos. E Caio Alexandre, após quase quatro minutos de análise do VAR, fez o segundo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Jaílson, muito irritado com a marcação do gol, bastante questionável, pois Caio Alexandre parece avançado, levou cartão amarelo e esbravejou muito.

Antes mesmo da confirmação do segundo gol, e descontente com a volta apática do Papmeiras, Luxemburgo já chamou três jogadores para mudar o time: Ramires, Zé Rafael e Gabriel Veron entraram.

O Palmeiras demorou para se acalmar com o lance questionável. Foram quase 25 minutos de erros de passes e nervosismo. Até sobrar uma bola desviada para William diminuir aos 31. Ainda viria o pênalti que o atacante desperdiçou e um show de cartões amarelos para todo lado.

O Palmeiras perdeu depois de muito tempo e agora tentará colocar a cabeça no lugar para buscar a reabilitação diante do São Paulo, clássico marcado para o Alianz Parque, no sábado. Por outro lado, o Botafogo festejou um triunfo após 10 rodadas no Brasileirão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 2 x 1 PALMEIRAS

BOTAFOGO – Diego Cavalieri; Kevin, Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luís; Rafael Forster (Kalou), Caio Alexandre (David Souza), Honda (Rentería) e Rhuan (Guilherme Santos); Pedro Raul (Warlley) e Matheus Babi. Técnico – Bruno Lazaroni.

PALMEIRAS – Jaílson; Marcos Rocha, Felipe Melo, Luan e Mayke (Gustavo Scarpa), Patrick de Paula (Ramires), Bruno Henrique (Zé Rafael), Raphael Veiga (Lucas Lima), Rony (Gabriel Veron), William e Wesley. Técnico – Vanderlei Luxemburgo.

GOLS – Pedro Raul, aos 53 segundos, e Caio Alexandre, aos 4, e William, aos 31 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Rodolpho Toski Marques (PR).

CARTÕES AMARELOS – Jaílson, Lucas Lima, Marcos Rocha e Wesley (Palmeiras) e Diego Cavalieri, Guilherme Santos, Warlley e Matheus Babi (Botafogo).

RENDA E PÚBLICO – Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL – Engenhão, no Rio (RJ).




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade