Siga o Jornal de Brasília

Torcida

Seleção bate China em estreia na Liga das Nações

Apesar dos desfalques, time de Zé Roberto não perde nenhum set no Nilson Nelson

Mesmo desfalcada de jogadoras que pediram dispensa, como Thaísa, Adenizia, Dani Lins, a seleção brasileira feminina de vôlei fez grande estreia na Liga das Nações na noite desta terça-feira. Jogando com o apoio da torcida, no ginásio Nilson Nelson, em Brasília, a equipe da casa derrotou a China, atual campeã olímpica, por 3 sets a 0, com parciais de 25/15, 25/21 e 25/21.

Sem as veteranas, o técnico José Roberto Guimarães escalou a equipe titular com Macris, Paula Borgo, Mara, Bia, Gabi, Amanda e a líbero Léia. No decorrer da partida, o treinador deu chances para Roberta, Lorenne e Júlia Bergmann, que fez sua estreia pela seleção principal.

Em meio a tantas jovens jogadoras, quem se destacou foi Gabi, de 25 anos. Ela foi a maior pontuadora do jogo, com 20 pontos. Paula Borgo contribuiu com 16 e também se destacou. Pela China, Yanhan Liu anotou 11 pontos.

Com Gabi e Paula em grande momento, a seleção fez forte início de jogo. Melhor em quadra, abriu até dez pontos, com 18/8, no set inicial, enquanto as chinesas ainda tentavam se encontrar em quadra. No final da parcial, Zé Roberto podê até fazer as primeiras mudanças na equipe.

O segundo set foi mais equilibrado. Depois da fraca atuação no início, a China abriu 3/0 e surpreendeu o Brasil. Mais concentrada, a equipe visitante começou a fazer um duelo mais complicado para as anfitriãs. O jogo chegou a empatar em 19/19 antes de as brasileiras abrirem vantagem e fecharem o set.

A última parcial da partida teve roteiro semelhante. Mas, desta vez, as brasileiras assumiram a dianteira do placar com folga mais cedo. E tiveram menos trabalho para sacramentar a parcial.

Depois desta boa vitória, a seleção feminina volta à quadra de Brasília já nesta quarta-feira para enfrentar a República Dominicana, a outra integrante do seu grupo nesta primeira fase da competição, às 20h. Na sequência, o adversário será a Rússia, na quinta, no mesmo horário.
Vinda de um quarto lugar no ano passado, a seleção feminina ainda busca o seu primeiro troféu da Liga das Nações – era recordista de títulos no Grand Prix, com 12 conquistas.

Neste início de Liga das Nações, as 16 principais seleções disputam a fase classificatória, com a formação de quatro grupos e quatro equipes a cada semana, definidos em sorteio. As cinco melhores vão à fase final, que terá a anfitriã China. Esta etapa decisiva do torneio será disputada entre 3 e 7 de julho.

Estadão contúdo

Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA