Futebol

Rússia pode ser excluída da Eurocopa em caso de novo conflito

Por Arquivo Geral 14/06/2016 12h25
REUTERS/Kai Pfaffenbach Livepic

Nesta terça-feira, o comitê disciplinar da Uefa puniu a Federação Russa de Futebol (RFU) pelas brigas de seus torcedores no Estádio do Velódromo na partida contra a Inglaterra pela Eurocopa, no último sábado. A seleção está agora em desqualificação suspensa e pode ser eliminada da competição europeia caso novos incidentes aconteçam dentro dos estádios.

Além da punição, válida até o fim da Eurocopa, os russos terão de pagar 150 mil euros (R$ 583 mil) em multas, podendo, ainda, recorrer na justiça. A torcida foi acusada de distúrbios, uso de fogos de artifício e comportamento racista durante a estreia do torneio continental.

Em seu comunicado oficial, o comitê fez questão de ressaltar que as punições se referem apenas à incidentes ocorridos dentro dos estádios da competição. Antes da estreia, fora do estádio em Marselha, hooligans ingleses entraram em conflito com a polícia local deixando 150 feridos e um homem em estado crítico.

Conflito violento

A briga entre russos e ingleses, em Marselha, deixou 150 feridos e um homem internado em estado grave. Mas Igor Lebedev, dirigente da Federação Russa de Futebol e membro do parlamento nacional, publicou uma polêmica declaração em sua conta do Twitter: “Eu não vejo nada de errado com a briga dos torcedores. Muito pelo contrário. Parabéns, rapazes, continuem assim!”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo ele, as ações dos baderneiros são em defesa da honra de seu país e, portanto, devem ser perdoadas. “O que aconteceu em Marselha e em outras cidades francesas não é culpa dos torcedores, mas sim da incapacidade da polícia de organizar esse tipo de evento. As brigas são normais. Os rapazes defenderam nossa honra e não deixaram os ingleses ofenderem nossa pátria. Devemos perdoar e entender nossos fãs”, contou.

Ele completou acusando os ingleses de iniciarem a violência. “Não entendo porque a mídia está dizendo que nossas ações são vergonhosas. Se não houvesse provocação dos ingleses, é improvável que os russos teriam se envolvido em brigas”.

Os comentários de Lebedev geram muita preocupação, pois a Rússia sediará a próxima Copa do Mundo, em dois anos. O ministro dos esportes, Vitaly Mutko, em contraste, criticou a situação. “Está claro que algumas pessoas não vieram para assistir futebol. Eles cobriram seus rostos e, assim, trouxeram vergonha para seu país”, disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já os ingleses receberam uma mensagem do técnico Roy Hodgson e do capitão da equipe, Wayne Rooney. “Como comandante da Inglaterra, eu estou muito preocupado com a ameaça e a sanção que pode ser aplicada sobre nossa equipe. Trabalhamos muito para chegar até aqui e queremos permanecer na competição. Desta forma, eu peço a todos os torcedores que fiquem fora de problemas, para que estas ameaças não cheguem a se concretizar. Nós, também, faremos o melhor que pudermos para ficar no torneio”, solicitou o treinador em vídeo compartilhado pela Federação Inglesa.

Rooney, por sua vez, pediu: “Eu gostaria de agradecer aos torcedores por todo o apoio frente à Rússia. Agora, temos um importante jogo contra o País de Gales e eu peço: por favor, se você não tiver ingresso, não venha. Aos fãs com ingresso: fiquem em segurança, sejam sensatos e continuem com seu grande apoio aos jogadores”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar