Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Torcida

Jorge Jesus busca conquistar tudo com seu Flamengo revolucionário

“O dia que decidi treinar o Flamengo, eu falei para meus assistentes: preparem as malas porque vamos trabalhar no Brasil e vamos ser finalistas da Libertadores”, declarou o técnico

Por Miguel Alves 24/11/2019 4h52
Brazil’s Flamengo fans surround the bus carrying the Flamengo football team during the celebration parade after their Libertadores Final football match victory against Argentina’s River Plate, Rio de janeiro on November 24, 2019. (Photo by CARL DE SOUZA / AFP)

É possível dizer que Jorge Jesus é um visionário, porque sabia o que aconteceria quando disse ‘sim’ ao Flamengo, conquistando a Copa Libertadores após 38 anos e revolucionando o futebol brasileiro em apenas seis meses.

Quando o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, foi a Lisboa em junho buscar o português, que vinha de um trabalho discreto no Al-Hilal saudita, o técnico não hesitou em embarcar nessa aventura rubro-negra.

Jesus poderia até ter assumido o Vasco da Gama meses antes, mas as negociações com o Gigante da Colina não prosperaram e foi o Flamengo que apostou pesado no ex-técnico de Benfica e Sporting para dar nova cara ao time, após Abel Braga pedir demissão em maio.

“O dia que decidi treinar o Flamengo, eu falei para meus assistentes: preparem as malas porque vamos trabalhar no Brasil e vamos ser finalistas da Libertadores”, declarou o técnico de 65 anos na véspera da final da competição continental contra o River Plate, em Lima.

O último título importante a nível internacional do Flamengo foi a Copa Mercosul de 1999. Mais atrás, conquistou a Libertadores e o Mundial de Clubes em 1981.

“Quando aceitei esse desafio de ir ao Brasil foi exatamente como um sonho de que estaria na Libertadores e poderia chegar à final e ganhá-la, assim como estar no Campeonato Brasileiro também com chances de vencer”, garantiu o português após vencer por 2 a 1 o River em uma final imprevisível no sábado.

Foto: Carl de Souza / AFP

Rigoroso e detalhista

Após anos colocando as finanças em ordem, o Flamengo investiu pesado desde o ano passado para voltar ao protagonismo no cenário internacional e conquistar o Brasileirão, competição que venceu pela última vez em 2009.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Jogadores com passagem pela seleção brasileira, como o goleiro Diego Alves e os laterais Rafinha e Filipe Luis, foram chegando e se unindo a jovens talentos como Rodrigo Cario, Gabriel Barbosa, o Gabigol, e Gérson, e à qualidade do uruguaio Giorgian De Arrascaeta, Everton Ribeiro e Bruno Henrique.

Só faltava um técnico que pudesse usar todos esses recursos a favor das metas flamenguistas, que fosse capaz de comandar o vestiário e dar seu toque pessoal.

Foi com isso que Jorge Jesus se comprometeu e em apenas seis meses transformou o Flamengo e revolucionou o futebol no Brasil.

Para isso, Jesus simplesmente aplicou o profissionalismo e o rigor tático europeu no futebol brasileiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O técnico luso tomou as rédeas de cada detalhe envolvendo o futebol do Flamengo, como a metodologia de treinos, as obras necessárias nos vestiários e até a pontualidade dos jogadores, que começaram a bater ponto na entrada e saída do CT.

Revolucionou tudo. Em relação ao esquema de jogo, convenceu em pouco tempo os jogadores com uma proposta abertamente ofensiva, mas que obrigava os atacantes e meias a correr muito mais em campo para pressionar com rigor a saída de bola adversária.

Foto: Carl de Souza / AFP

Em busca de mais títulos

A posse de bola tanto para atacar como para defender foi o princípio mais trabalhado nas primeiras semanas de sua gestão. Paralelamente, foi incorporando conceitos táticos do futebol europeu e soube combiná-los com a qualidade dos jogadores brasileiros.

Também rompeu o paradigma no Brasil de que uma equipe não poderia focar plenamente em duas competições ao mesmo tempo: traçou como objetivo conquistar a Libertadores e o Brasileiro desde o primeiro treinamento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O tempo, e o trabalho, claro, lhe deram razão.

Longe de ser aquele Flamengo acostumado a dominar completamente seus adversários nesta temporada, a equipe Jesus se viu atrás do placar e controlado por um River Plate durante grande parte da final de sábado da Libertadores, encontrando somente nos últimos 20 minutos as chances para virar a partida e mostrar seu talento.

Mas isso não tira os méritos do trabalho de Jesus e de um Flamengo que busca conquistar tudo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Neste domingo, o Flamengo poderá se sagrar campeão do Brasil sem sequer entrar em campo, caso o Palmeiras, segundo colocado, não vencer o Grêmio em Porto Alegre.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Milhares de torcedores aguardavam no centro do Rio de Janeiro o elenco do Flamengo que aterrizou neste domingo no aeroporto internacional da cidade para comemorar o segundo título de Libertadores da história do clube.

E no horizonte está o Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro no Catar, e uma final sonhada contra o Liverpool, mesmo adversário que o rubro-negro carioca derrotou por 3 a 0 há 38 anos em Tóquio, quando conquistou a Copa Intercontinental sob o comando de Zico e companhia.

Por Agence France-Presse






Você pode gostar