Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Torcida

‘Ele morreu por alguns minutos’, diz ex-médico de Eriksen

“Sem ser muito direto, ele morreu hoje, embora por alguns minutos, mas ele morreu”, disse o médico Sanjay Sharma

Foto: Friedemann Vogel / POOL / AFP

São Paulo-SP

O médico Sanjay Sharma trabalhou com Eriksen no Tottenham de 2013 a 2020. Atual presidente dos cardiologistas da Federação Inglesa, o profissional comentou sobre o que aconteceu com o camisa 10 da Dinamarca. Em sua declaração para a agência de notícias PA, Sharma afirmou que o atleta “morreu por alguns minutos”.

“Sem ser muito direto, ele morreu hoje, embora por alguns minutos, mas ele morreu. E o profissional médico permitiria que ele morresse de novo? A resposta é não”, disse ele.

Ainda no assunto, o médico deixou claro que é ‘um bom sinal’ o fato de Eriksen ter chegado ao hospital acordado, mas ainda coloca em cheque sua sequência no futebol. “O fato de ele estar estável e acordado, suas perspectivas serão muito boas. Não sei se ele voltará a jogar futebol”, enfatizou.

Por fim, Sharma ainda pontuou que durante os anos que trabalhou com Eriksen no Tottenham, seus exames nunca acusaram algum tipo de problema que merecesse maior atenção.

Condição estável

O meio-campista da Dinamarca, Christian Eriksen, continua internado em condição estável depois de desmaiar durante a partida da Eurocopa contra a Finlândia no sábado (12), informou hoje a associação de futebol dinamarquesa.
“Esta manhã falamos com Christian Eriksen, que enviou saudações aos companheiros. Sua condição é estável e ele continua hospitalizado para exames adicionais”, disse a federação.

Eriksen, 29 anos, desmaiou repentinamente aos 42min do primeiro tempo enquanto corria perto da linha lateral esquerda, após uma cobrança lateral na Dinamarca. O atleta foi atendido ainda em campo e recebeu massagem cardíaca dos médicos por vários minutos, gerando um momento de tensão e preocupação em todos os que estavam presentes no estádio Parken Stadium, em Copenhague.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da Folhapress






Você pode gostar