Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Torcida

À espera de tufão, Tóquio-2020 adia provas de remo e arco

France’s Michel Bourez rides a wave during the men’s Surfing 1/4 finals at the Tsurigasaki Surfing Beach, in Chiba, on July 27, 2021 during the Tokyo 2020 Olympic Games. (Photo by Olivier MORIN / AFP)

A capital japonesa se prepara para a possibilidade de receber o Nepartak, um tufão, nas próximas horas. Por conta disso, a organização das Olimpíadas de Tóquio-2020 tratou de realizar algumas mudanças nos jogos.

O surfe foi adiantado e deverá ter as finais ainda nesta terça-feira (27). As provas de remo e arco, por outro lado, foram adiadas para o dia 28. Essa decisão interfere a participação de brasileiros no arco e vela.

No arco, dois atletas terão que esperar mais um pouco para desfilar suas habilidades. Marcus Vinícius vai enfrentar o britânico Patrick Huston, pelo individual masculino, na madrugada do dia 28, por volta das 1h24 (de Brasília). Já Ane Marcelle terá que esperar ainda mais. Ela encara a mexicana Ana Vazquez às 5h57 (de Brasília) do dia 29 pelo individual feminino.

No remo, Lucas Verthein viu sua prova de semifinal do remo skiff simples masculino ser adiada para às 23h (de Brasília) do dia 28. Nas quartas de final, ele teve grande desempenho e ficou atrás apenas do alemão Oliver Zeidler, campeão mundial de 2019 e principal favorito.

De acordo com o serviço meteorológico japonês, a tendência é que o Nepartak não passe pela cidade de Tóquio, sede principal dos jogos. Porém, só a proximidade desse fenômeno já gera alterações na natureza, o que impede a disputa de algumas modalidades.O surfe foi adiantado e deverá ter as finais ainda nesta terça-feira (27). As provas de remo e arco, por outro lado, foram adiadas para o dia 28. Essa decisão interfere a participação de brasileiros no arco e vela.

O surfe, por exemplo, teve a disputa adiada porque a previsão é de ondas pequenas após a passagem dos ventos. Assim, a expectativa é que tudo seja resolvido nesta terça, ainda no início da madrugada no Brasil.

Fortes rajadas de ventos são esperadas e deixam às águas impraticáveis para a disputa do remo, segundo disse a organizações dos Jogos, o que motivou o adiamento. É a mesma justificativa para a não realização do arco, em local aberto e que teria clara influência do vento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A cidade de Tóquio está sob alerta amarelo para tempestades, o mais baixo na escala do país. A temporada de tufões no Japão geralmente começa em maio e termina em outubro.






Você pode gostar